sábado, 3 de setembro de 2016

Lições CPAD adultos evangelismo especial n.11






                     DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA


11 de Setembro de 2016
Texto Áureo
"[...] Sai depressa pelas ruas e bairros da cidade e traze aqui os pobres, e os aleijados, e os mancos, e os cegos." (Lc 14.21)
Verdade Prática
A evangelização que não inclui as pessoas com deficiência é incompleta e não expressa plenamente o amor de Deus.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – 2 Sm 9.10: A inclusão de um coxo à mesa do rei Davi
Terça – Mc 7.31-37: O surdo que ouviu Jesus e foi curado
Quarta – Jo 9.25: A confissão do cego que foi curado
Quinta – At 3.1-10: O paralítico que foi curado e exaltou a Deus
Sexta – Is 35.1-10: Os portadores de necessidades especiais no plano divino
Sábado – Lc 7.22: O Evangelho de Jesus ama e inclui a todos 


                                LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

João 5.1-9
1 DEPOIS disto havia uma festa entre os judeus, e Jesus subiu a Jerusalém.
2 Ora, em Jerusalém há, próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, o qual tem cinco alpendres.
3 Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressicados, esperando o movimento da água.
4 Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse.
5 E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo.
6 E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são?
7 O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim.
8 Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda.
9 Logo aquele homem ficou são; e tomou o seu leito, e andava. E aquele dia era sábado.

HINOS SUGERIDOS: 160, da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL

Reconhecer que as pessoas com deficiência precisam ser alcançadas com as Boas-Novas.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
I. Conscientizar da suficiência de Cristo para com as pessoas com deficiência.
II. Saber que os surdos precisam ser alcançados com o som do evangelho
III. Mostrar que os cegos também podem ser conduzidos a Cristo. IV. Compreender que os paralíticos devem ser conduzidos a Cristo.

• INTERAGINDO COM O PROFESSOR

O Reino de Deus, anunciado pelo Senhor Jesus Cristo, era inclusivo. Ele amou e curou os paralíticos e os cegos.

No tempo de Jesus, as pessoas com deficiência não eram valorizadas; elas viviam à margem da sociedade. Exis­tia a crença errónea de que as deficiências físicas eram resultado de algum Pecado. “E os discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?” (Jo 9-2).

No Antigo Testamento, o coxo e o cego não poderiam exercer o oficio de sacerdote (Lv21.18). Mas Jesus não os rejeitou, mostrando que estes também poderiam fazer parte do Reino de Deus. Que possamos preparar nossas igrejas para receber e integrar as pessoas com deficiência.

INTRODUÇÃO

As águas de Betesda eram, de vez em quando, agitadas por um anjo de Deus. Quando isso acontecia, o primeiro enfermo a descer ao poço era imediata­mente curado. Nessa expectativa, havia, ali uma multidão de coxos, mudos, surdos e cegos.

Cada uma daquelas pes­soas com deficiência tinha alguém para baixá-la às águas. Mas o enfermo, com quem Cristo falou, não tinha nin­guém para ajudá-lo. Então, o próprio Senhor tratou de in­cluí-lo em seu Reino; salvou-lhe a alma e curou-lhe o corpo.
Existem muitos que não podem ver, não podem falar, ouvir, andar e, às vezes, não conseguem atinar com a razão. Por Isso, como Igreja do Senhor, precisamos alcançar aqueles com deficiência.

l- A SUFICIÊNCIA DE CRISTO COM AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
Vejamos quem é esse grupo, e como era visto no Antigo e no Novo Testamento.
PONTO CENTRAL
A evangelização eficiente deve incluir as pessoas com deficiência. 

1. Definição.
Segundo a Organização Mundial da Saúde, “ deficiência é o termo usado para definira ausência ou a disfunção de uma estrutura psíquica, fisiológica ou anatômica.

As pessoas com deficiência são as que se acham privadas quer de seus sentidos, quer de seus movimentos, ou do pleno uso de suas faculdades mentais. Nessa definição acham-se os cegos, mudos, surdos, paraplégicos e tetraplégicos, os autistas, os que têm a Síndrome de Down, etc.

2. A deficiência no An­tigo Testamento.

Se, por um lado, nenhum deficiente podia ser admitido no ofício sacerdotal, por outro, vemos um coxo ser convidado a estar perpetuamente à mesa do rei (Lv 21.16-23; 2 Sm 4.4; 9.10).

O profeta Isaías, por seu turno, consola o seu povo, prometendo-lhe que, no porvir, todas as pessoas com deficiências serão incluídas na restauração de Israel (Is 35.1-10).

3. A deficiência no Novo Testa­mento.

Jesus Cristo, sendo a expressão máxima do amor de Deus, veio para incluir a todos, judeus e gentios, pobres e ricos, deficientes e não deficientes, em um só corpo (Jo 3.16; Rm 12.5).

Sendo Ele um homem de dores e experimentado no sofrimento, jamais se negou a receber um cego um paralítico ou mesmo um leproso (Is 53.3; Mt 8.2; 9.6; Lc 7.21).
O Filho de Deus inclui a todos em seu plano redentor, pois o amor divino vai além de nossas deficiências ou suficiências. 
Essa tarefa, hoje cabe a nós. Por meio de uma estratégia e uma didática apropriada, podemos incluir os de neces­sidades especiais no Plano da Salvação, ensinando-lhes a Palavra de Deus. So­mente dessa forma eles poderão vir a superar todos os seus limites espirituais, emocionais e sociais.

SÍNTESE DO TÓPICO I
Cristo amou e auxiliou as pessoas com deficiência.

SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO

Defeitos físicos desqualificavam os descendentes de Arão para servirem como sacerdotes e oferecerem sacrifí­cios em favor do povo.

(1) O requisito do corpo físico integral do sacerdote, do propósito divino, no sentido do ser um exemplo vivo da vida do ministro a serviço do Senhor, O tendo um corpo sem defeito mais eficaz no serviço de Deus, Todavia, quem não pudesse servir como ministro devido i tais defeitos, não perdia o direito de participar do pio de Deus, a plena salvação vinda pelo concerto de Deus,. 
(2) A exigência divina de um corpo no sacerdócio levítico prefigurava a perfeição moral de Cristo (Hb 9,15,14) a aponta para as qualificações espirituais requeridas por Deus para os ministros do Novo Testamento.
Todo aquele que serve no ministério deve ser inculpável e irrepreensível (BEP). 
II. O SOM DO EVANGELHO AOS SURDOS

Para ensinar o Evangelho aos sur­dos, o evangelista tem de aprender, primeiro, a comunicar-se de maneira eficiente com cada uma delas.

1. Conduzindo os surdos a Jesus.

Embora Jesus soubesse como se comu­nicar com os surdos, era necessário que alguém os levasse a Ele (Mc 7.31-37). Portanto, deve o evangelista melhorar a sua comunicação com os deficientes auditivos, a fim de explanar-lhes o Plano da Salvação. Antes de tudo, é preciso aprender a Língua Brasileira de Sinais, conhecida como Libras.

2. A integração dos surdos.

Além de evangelizar os surdos, é necessário discipulá-los através de intérpretes competentes, a fim de que eles recebam o ensino completo da Palavra de Deus. Na Escola Dominical, recomendam-se professores especializados. Que os cultos sejam traduzidos em Libras. Segundo pesquisas, só no Brasil existem aproxi­madamente dez milhões de surdos, e a Palavra de Deus nos manda abrir a boca em favor dos surdos-mudos (Pv 31.8).
SÍNTESE DO TÓPICO II
Os surdos precisam ser alcançados com o som do Evangelho.

SUBSÍDIO DE EDUCAÇÃO CRISTÃ

A Palavra de Deus declara: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a criatura (Mc 16,15).

Com certeza, os alunos com deficiência estavam incluídos grupo, pois são criaturas do Senhor e importantes para Ele. O apóstolo Paulo nos dá o exemplo: Fiz-me fraco para com os fracos, para ganhar os fracos, Fiz-me tudo com todos, por todos os meios chegar a salvar alguns.  Faço isso por causa do evangelho, para ser também participante dele (1Co 9.22,23).

Êxodo 4.11 diz: "Quem fez a boca do Homem?

Isaías 35.5,6 diz: Os olhos dos cegos se abrirão, e os ouvidos dos surdos se desimpedirão.  Então os coxos saltarão como o cervo e a língua dos mudos cantará. As pessoas com deficiência naquele dia serão totalmente regeneradas. 
O curdo não é um doente. Ele é sujeito que tem uma língua natural própria, a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais).

Quais são as medidas a serem observadas na comunicação com o surdo?

Em primeiro lugar, precisamos compreender que existem surdos oralizados, ou seja, conseguem se expressar por meio da fala e compreender o que é transmitido por meio da leitura labial.
Mesmo oralizado, o surdo continua dificuldade de comunicação porque continua sem ouvir, Muitos desses alunos oraizados usam aparelho auditivo, mas é preciso lembrar que o aparelho não exclui a sua limitação, apenas ajuda.
Encontramos também o surdo não oralizados, que é aquele que não consegue se comunicar por intermédio da fala.A comunicação com esse grupo é de forma não verbal. Para isso, tanto o aluno quanto o professor precisa conhecer a língua de sinais (LIBRAS).
Atualmente, existem vários métodos de comunicação que podem ser usado com o surdo.Fica então a pergunta: Quais métodos podemos utilizar na comunicação com o surdo?
É importante lembrar que o surdo ouve com os olhos, portanto só haverá comunicação se houver visualização.

Observe:
1. Ao se comunicar com o surdo, procure ficar de frente para ele;
2. Fale pausadamente;
3. Utilize a expressão facial e cor­poral;
4. Utilize vocabulário simples;
5. Procure manter uma curta distân­cia entre você e a pessoa surda;
6. Utilize gestos, mesmo que o surdo seja bem oralizado;
7. Mantenha a boca e mãos livres para fazer os gestos necessários. Não esqueça que o corpo todo 'fala';
8. Procure dominar a língua de sinais e o alfabeto manual, principalmente nomes próprios;
9. O surdo precisa ser exposto à cultura surda para desenvolver realmente sua língua e compor sua identidade;
10. A Libras para o surdo é a língua materna" (CHIQUINE, Siléia. Ensinando Deficientes Auditivos, 25a Conferência de Escola Dominical, Rio de Janeiro: CPAD, 2016, p. 66).

III. A VISÃO DE CRISTO AOS CEGOS

Em nosso país, há seis milhões e meio de pessoas com alguma defi­ciência visual. Trata-se, pois, de um campo missionário que exige obreiros amorosos e especializados.

1. Conduzindo os cegos a Cristo.
Havia sempre alguém disposto a con­duzir os cegos a Jesus (Mc 10.46-52). Hoje, com os programas de inclusão, um cego é capaz de ir e vir, sozinho, a qualquer lugar. Não obstante, precisa ser trazido pessoalmente a Jesus. Todo salvo pode partilhar com um deficiente visual a visão do Salvador do mundo. 
2. Discipulando os cegos.

No discipulado das pessoas com deficiência visual, temos de oferecer-lhes a Bíblia e livros em Braille, para que venham a contemplar, pelo tato, a beleza da Pala­vra de Deus (Is 29.18). Não se esqueça dos audiolivros. Para tanto, providen­cie-lhes a Bíblia e obras cristãs mais expressivas. Para ajudar na inclusão dos cegos, assinale a planta do templo com placas em Braille e piso tátil. Nenhum tropeço pode estar no caminho dos que não podem ver (Dt 27.18).

CONHEÇA M AIS
Coxo
Um homem que fosse coxo estava desqualificado para exercer o ofício de sacerdote para não contaminar o altar (Lv 21.18). Um animal coxo não poderia ser oferecido em sacrifício (Dt 15.21). Mefibosete, filho de Jônatas, que se tornou membro da casa de Davi devido à profunda ami­zade entre aqueles dois servos de Deus, era coxo devido a um acidente ocorrido no dia da morte de Jônatas. As alusões aos coxos são frequentes: por exemplo, nos dias mais felizes de Jó ele era como "os pés do coxo' (Jó 29.15). A cura de coxos estava entre as obras miraculosas do Senhor Jesus e de seus discípulos. Para conhecer mais, leia Dicionário Bíbli-co Wycliffe, CPAD, p. 469.
SÍNTESE DO TÓPICO III
Jesus Cristo dá visão aos cegos.

SUBSÍDIO DE EDUCAÇÃO CRISTÃ

De acordo com o IBGE, a maioria das pessoas com necessidades especiais do Brasil tem problemas de visão, vêm em seguida os que apresentam alguma deficiência motora, em terceiro está o grupo dos deficientes auditivos, depois os deficientes mentais.

Entre essas clas­sificações há também os que acumulam múltiplas deficiências.
O que é deficiência visual?
A deficiência visual é caracterizada pela perda total ou parcial, congénita ou adquirida, da visão.

Há pelo menos dois grupos de deficiência visual:
Cegueira - há perda total da visão ou pouquíssima capacidade de enxergar, o que leva a pessoa a necessitar do Sistema Braille como meio de leitura e escrita.
 Baixa visão ou visão subnormal - caracteriza-se pelo comprometimento do funcionamento visual dos olhos, mesmo após tratamento ou correção. As pessoas com baixa visão podem ler textos impressos ampliados ou com uso de recursos óticos especiais (fonte: Fundação Dorina). 
Pessoa com Deficiência
A sociedade vem passando por um processo de transformação. Há um novo olhar em relação às pessoas com deficiências, Há até mesmo uma preo­cupação com o uso da linguagem.
 Os termos que definem a deficiência vêm se adequando a essa visão. Atualmente e o termo correto a ser utilizado é pessoa com deficiência, que faz parte do texto aprovado pela Convenção Internacional para Proteção e Promoção dos Direitos e Dignidades das Pessoas com Deficiên­cia, aprovado pela Assembleia Geral da ONU, em 2006 e ratificada no Brasil em julho de 2008 (fonte: Fundação Dorina).
 Segundo dados do IBGE de 2010, no Brasil, mais de 6,5 milhões de pessoas têm alguma deficiência visual Desse total: 528,624 pessoas são incapazes de enxergar (cegos); 6.056.654 pessoas possuem grande dificuldade permanente de enxergar (baixa visão ou visão sub-normal; outros 29 milhões de pessoas declararam possuir alguma dificuldade permanente de enxergar, ainda que com óculos ou lentes " (LOPES, Jamil. Leitura como Alternativa do 10 ao Aluno com Deficiência, 25a Conferência de Escola Dominical» Rio Janeiro: CPAD, 2016, p, 69).

IV. OS PRARALÍTICOS VÃO AO ENCONTRO DE CRISTO

Certa vez, quatro homens, para chegar um paralítico à presença de Jesus, descobriram o telhado da casa onde estava o Mestre, e baixaram o defifiente. O senhor, vendo-lhes a fé, curou o enfermo (Mc 2.1-11). 
1. Conduzindo os deficientes físicos a Cristo isto.
Evangelizar pessoas com deficiencia física exige amor e disposição. Em algumas ocasiões temos de ir até elas (At 3.1-14). Em outras, temos de trazê-las até nós (Lc 14.12).  Os deficientes também fazem parte da Grande Comissão e pre­so ser alcançados. 
2. Acesso facilitado.
Para receber­as pessoas com deficiência física, é urgente adaptarmos nossos templos às suas necessidades. 
Providenciemos, rampas de acesso, calçadas rebaixas, corrimões e banheiros adequados.

Os cadeirantes precisam ter livre acesso às dependências públicas da Igreja. Na hora do culto, ficarão num lugar privilegiado, para acompanhar atentamente os trabalhos.
 SÍNTESE DO TÓPICO IV
Os paralíticos devem ser conduzidos a Jesus Cristo. 
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
Cura e perdão (Mc 2.1-7)
A medicina moderna entende que há uma conexão vital entre saúde e bem-estar mental. A Bíblia associa toda doença e sofrimento à nossa se­paração de Deus. A enfermidade é uma consequência da Queda, Assim, a maior necessidade do ser humano não é a cura física, mas a espiritual como um todo. Jesus se preocupou tanto que satisfez a mais profunda necessidade do paralítico, da mesma maneira como Ele deseja sa­tisfazer a nossa" (RICHARDS, Lawrence O, Guia do Leitor da Bíblia; Uma análise de Génesis a Apocalipse capitulo por capítulo, 10,ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 634).

CONCLUSÃO

O Evangelho de Cristo tem de ser anunciado a todos, em todo tempo e lugar, por todos os meios. Por essa ra­zão, não deixaremos de fora nenhuma pessoa com deficiência. Os integrantes desse grupo suspiram por um encontro pessoal com Deus. Eles não podem ser deixados de fora, pois o Senhor, na cruz, incluiu-os em seu Reino.
PARA REFLETIR
A respeito da evangelização das pessoas com deficiência, responda:
• Defina as pessoas com deficiência.
As pessoas com deficiência são as que se acham privadas quer de seus senti­dos, quer de seus movimentos, ou do pleno uso de suas faculdades mentais. 
• Por que incluir os deficientes na evangelização?
Porque Jesus Cristo, sendo a expressão máxima do amor de Deus, veio para incluir a todos, judeus e gentios, pobres e ricos, deficientes e não deficientes, em um só corpo (Jo 3.16; Rm 12.5). 
• Como evangelizar os surdos e mudos?
É preciso aprender Libras, a língua dos surdos. Conduzindo os surdos a Jesus por meio da evangelização pessoal. 
• De que forma podemos evangelizar os cegos?
Utilizando material evangelístico em áudio ou em Braille. 
• Como alcançar os paralíticos? 
É necessário ir até eles e para recebê-los em nossas igrejas é urgente adap­tarmos nossos templos às suas necessidades. 




Subsidio BETEL adultos seguir a Jesus n.11



    SUBSIDIO BETEL SEGUIR A JESUS MATEUS 8.18-22
                                      versículos 18-22


                                       Escritor Mauricio Berwald                       

                           Resposta de Cristo a um escriba e outra.

18 Vendo Jesus uma multidão ao redor de si, deu ordem de partir para o outro lado. 19 E um escriba, disse-lhe: Mestre, eu te seguirei por onde quer que fores. 20 E Jesus disse-lhe: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça. 21 E outro de seus discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir primeiro enterrar meu pai. 22 Mas Jesus disse-lhe: Segue-me e deixe que os mortos enterrem seus mortos.

Eis, I. Cristo remoção para o outro lado do mar de Tiberíades, e sua ordenação seus discípulos, cujos barcos participaram dele, para obter os seus transportes vasos prontos, a fim de que, Mateus 08:18. As influências desta Sol da justiça não eram para ser confinado a um lugar, mas difundido todo o país ao longo ele deve percorrer cerca de fazer o bem às necessidades de almas chamadas para ele, venha e nos ajude (Atos 16: 9), ele removida quando viu uma multidão ao redor dele. Embora por este parecia que eles estavam desejosos de tê-lo lá, ele sabia que havia outros como desejosos de tê-lo com eles, e eles devem ter a sua parte dele: seu ser aceitável e útil em um lugar não era objeção contra, mas uma razão para, sua ida para outro. Assim, ele iria tentar as multidões que estavam sobre ele, se o seu zelo iria levá-los a segui-lo, e participar nele, quando sua pregação foi removido para alguma distância. Muitos ficaria feliz de tal ajuda, se eles poderiam tê-los em ao lado, que não será no esforço para segui-los para o outro lado e, assim, Cristo livrou aqueles que eram menos zelosa, eo perfeito foram feitas manifesto.

II. comunicação de Cristo com dois, que, após a sua remoção para o outro lado, foram loth a ficar para trás, e tinha uma mente para segui-lo, não como os outros, que eram seus seguidores em geral, mas a entrar em perto de discipulado, que o mais eram tímidos por ele carregava um rosto de rigor como eles não poderiam gostar, nem ser bem reconciliados com mas aqui é um relato de dois filhos que parecia desejoso de entrar em comunhão, e ainda não estava certo que aqui é dada como um espécime de os obstáculos pelos quais muitos são mantidos de fechar com Cristo, e aderindo a ele e um aviso para nós, para estabelecer no seguimento de Cristo, de modo que não pode vir curto para estabelecer uma tal fundação, como que o nosso edifício pode suportar.

Temos aqui a gestão de dois temperamentos diferentes, uma rápida e ansioso de Cristo, o outro maçante e pesado e suas instruções são adaptados a cada um deles, e projetado para o nosso uso.

1. Aqui está um que foi muito apressado em promissor e ele era um escriba (Mateus 08:19), um estudioso, um homem culto, um daqueles que estudou e expôs a lei geralmente os encontramos nos evangelhos a ser homens de não bom caráter normalmente juntamente com os fariseus, como inimigos de Cristo e sua doutrina. Onde está o escrivão? 1 Coríntios 1:20. Ele é muito raro seguir a Cristo ainda aqui foi um que lance muito justo para o discipulado, a Saul entre os profetas. Agora observe,

(1) Como ele expressou sua forwardness Mestre, eu te seguirei, onde quer que fores. Não sei como alguém poderia ter falado melhor. Sua profissão de uma auto-dedicação a Cristo é, [1] Muito pronto, e parece ser motu ex mero - a partir de sua inclinação imparcial: ele não é chamado a ele por Cristo, nem pediu por qualquer um dos discípulos, mas , por sua própria vontade, ele profere-se um seguidor próximo de Cristo, ele não é um homem pressionado, mas um voluntário. [2] Muito resoluta ele parece estar em um ponto nesta matéria ele não diz: "Eu tenho uma mente para seguir-te", mas, "Estou determinado, vou fazê-lo." [3] Foi ilimitada e sem reservas "eu te seguirei aonde quer que fores, não só para o outro lado do país, mas se fosse para as regiões extremos do mundo." Agora devemos pensar nos a certeza de um homem como este e ainda assim parece, a resposta de Cristo, que a sua resolução era rash, seus fins baixa e carnal: ou ele não considerou em tudo, ou não o que era para ser considerado ele viram os milagres de Cristo feito, e esperava que ele iria criar um reino temporal, e ele pretendia aplicar cedo para uma parte nela. Note-se, Há muitas resoluções para a religião, produzidos por algumas dores súbitas de convicção, e retomados sem a devida consideração, que provam abortivo, e chegar a nada: em breve maduro, logo podre.

(2.) Como Cristo tentou o seu atrevimento, se eram sinceros ou não, Matthew 08:20. Ele deixá-lo saber que este Filho do homem, a quem ele está tão ansioso para seguir, não tem onde reclinar a cabeça, Matthew 08:20. Agora, a partir desta conta de profunda pobreza de Cristo, observa-se,

[1] Isso é estranho por si só, que o Filho de Deus, quando ele veio ao mundo, deve colocar-se em uma condição tão muito baixa, como a querer a conveniência de um determinado lugar de descanso, o que mais médio de as criaturas têm. Se ele iria tomar nossa natureza sobre ele, se poderia pensar, ele deveria ter tomado em sua melhor condição e as circunstâncias: não, ele leva-lo no seu pior. Veja aqui, primeiro, como também fornecido para as criaturas inferiores são: As raposas têm covis, embora eles não são apenas não é útil, mas doloroso, para o homem, mas Deus provê furos para eles em que eles estão ligados à terra: Homem esforços para destruí-los, mas, assim, eles estão abrigados seus buracos são os seus castelos. As aves do céu, embora eles não tomam nenhum cuidado para si mesmos, mas são tomadas de cuidados, e têm ninhos (Salmo 104: 17) ninhos no campo alguns deles ninhos na casa em tribunais de Deus, o Salmo 84: 3. Em segundo lugar, como mal o Senhor Jesus foi prevista. Pode encorajar-nos a confiar em Deus para coisas necessárias, que os animais e as aves têm essa boa disposição e pode consolar-nos, se queremos primeira necessidade, que o nosso Mestre fez isso antes de nós. Nota, Nosso Senhor Jesus, quando ele esteve aqui no mundo, submetido às desgraças e angústias de extrema pobreza por nós se fez pobre, muito pobre. Ele não tinha uma solução, não tinha um lugar de repouso, não uma casa própria, para colocar a cabeça em, não um travesseiro de sua autoria, reclinar a cabeça diante. Ele e seus discípulos viveram na caridade das pessoas de boa vontade, que o serviam com os seus bens, Lucas 8: 2. Cristo submetidos a este, não só que ele poderia em todos os aspectos se humilhar, e cumprir as escrituras, que falou dele como pobres e necessitadas, mas que ele poderia nos mostrar a vaidade de riquezas do mundo, e nos ensinam a olhar para ela com um desprezo santo que ele poderia comprar coisas melhores para nós, e assim tornar-nos ricos, 2 Coríntios 8: 9.

[2] É estranho que tal declaração deve ser feita nesta ocasião. Quando um escriba ofereceu para seguir a Cristo, alguém poderia pensar que ele o teria incentivado, e disse: Vem, e eu vou cuidar de ti um escriba pode ser capaz de fazer-lhe mais crédito e serviço de doze pescadores, mas Cristo viu seu coração e respondeu aos pensamentos daquele, e é aí que nos ensina tudo como vir a Cristo. Em primeiro lugar, resolver o escriba parece ter sido repentina e Cristo teria nós, quando tomamos sobre nós uma profissão de religião, para se sentar e contar o custo (Lucas 14:28), para fazê-lo de forma inteligente e com consideração e escolher a forma de piedade, não porque não conhecem outra, mas porque sabemos que não há melhor. Não é nenhuma vantagem para a religião, para tirar os homens de surpresa, antes que eles estão cientes. Os que ocupam uma profissão num pang, vai jogar-lo novamente em um traste deixá-los, portanto, levar tempo, e eles vão ter feito o mais cedo: deixá-lo de que vai seguir a Cristo sabe o pior de tudo, e esperar para mentir duro, e fare duro. Em segundo lugar, Sua resolução parece ter sido de um princípio mundano, avarentos. Ele viu o que abundância de curas Cristo operou, e concluiu que ele tinha grandes taxas, e gostaria de obter uma propriedade rapidamente, e, portanto, ele iria segui-lo na esperança de enriquecer com ele, mas Cristo corrige seu erro, e diz a ele, ele estava tão longe de crescer rico, que ele não tinha um lugar para colocar a cabeça sobre e que se ele segui-lo, ele não pode esperar para sair-se melhor do que ele se saiu. Note-se, Cristo aceitará nenhum para seus seguidores que visam vantagens mundanas, seguindo-o, ou o projeto para fazer qualquer coisa, mas o céu de sua religião. Temos razões para pensar que este escriba, hereupon, retirou-se triste, sendo decepcionado com um negócio que ele pensou que iria virar para explicar que ele não é para seguir a Cristo, a menos que ele pode começar por ele.

2. Aqui está outro que era muito lento no desempenho. Atraso na execução é tão ruim, por um lado, como precipitancy na resolução é, por outro lado, quando temos tido tempo para considerar, em seguida, ter determinado, que nunca seja dito, à esquerda que a ser feito amanhã, que poderia fazer a-dia. Este candidato para o ministério foi um dos já discípulos de Cristo (Mateus 8:21), um seguidor dele em geral. Clemente de Alexandria diz-nos, a partir de uma antiga tradição, que este era Philip ele parece ser melhor qualificados e dispostos do que o anterior, porque não tão confiante e presunçoso: um corajoso, ansioso, over-forward temperamento não é o mais promissor na religião, por vezes, a últimos são os primeiros e os primeiros serão últimos. Agora observe aqui,

(1.) A desculpa de que aquele discípulo fez, para adiar um atendimento imediato sobre Cristo (Mateus 8:21) "Senhor, permite-me ir primeiro enterrar meu pai. Antes de eu vir a ser um seguidor estreita e constante de ti, deixe-me ser permitido para executar esta última estância de respeito ao meu pai e no médio prazo, é suficiente para ser um ouvinte de ti agora e então, quando eu puder poupar tempo. " Seu pai (alguns pensam) estava agora doente, ou morrendo, ou outros mortos pensar, ele era apenas idade, e não é provável em um curso da natureza, para continuar por muito tempo e ele desejado licença para assistir a ele, em sua enfermidade, na sua morte e para a sua sepultura, e então ele estaria a serviço de Cristo. Isto parecia um pedido razoável, e ainda não foi certo. Ele não tinha o zelo que ele deveria ter para o trabalho e, portanto, pediu isso, porque parecia um apelo plausível. Note, Uma mente disposta nunca mais quer uma desculpa. O significado de não vacat é, Non placet - A falta de lazer é a falta de inclinação. Vamos supor que venha de um verdadeiro afeto filial e respeito por seu pai, e ainda a preferência deve ser dada a Cristo. Note, Muitos são impedidos de e na forma de piedade séria, por um excesso de preocupação para as suas famílias e as relações dessas coisas lícitas todos nós desfazer, eo nosso dever para com Deus é negligenciada, e adiou, sob a cor de descarregar as nossas dívidas ao mundo aqui, portanto, temos necessidade de dobrar a guarda.

(2.) não permitindo desta desculpa (Mateus 08:22) Disse-lhe Jesus de Cristo, Siga-me e, sem dúvida, poder acompanhar esta palavra para ele, como para os outros, e ele seguiu Cristo e clivada a ele, como Ruth para Naomi, quando o escriba, na Mateus 8: 19,20, como Orpah, despediu-se dele. Dito isto, eu te seguirei a este Cristo disse: Segue-me comparando-os juntos, é entender que somos levados a Cristo pela força de seu chamado para nós, não de nossas promessas a ele, não é do que quer, nem do que corre, mas de Deus que se compadece ele chama quem quer, Romanos 9:16. E, ainda, nota, no entanto vasos escolhidos podem dar desculpas, e atrasar a sua conformidade com divina chama um grande tempo, mas Cristo vai longamente responder às suas desculpas, conquistar sua falta de vontade, e trazê-los a seus pés quando Cristo chama, ele vai superar, e fazer o chamado eficaz, 1 Samuel 03:10. Sua desculpa é deixada de lado como insuficiente Deixa que os mortos enterrem seus mortos. É uma expressão proverbial "Que um homem morto enterrar outra:. Sim deixá-los mentir insepulto, de que o serviço de Cristo deve ser negligenciada Deixa que os mortos espiritualmente enterrar os mortos corporalmente deixe escritórios mundanos ser deixada para as pessoas do mundo não te onerar ti mesmo . com eles Enterrar os mortos, e especialmente um pai morto, é um bom trabalho, mas não é a tua obra neste momento: pode ser feito também por outros, que não são chamados e qualificados, como tu és, para ser empregado por Cristo tens outra coisa para fazer, e não deve adiar isso. " Nota, Piedade a Deus deve ser dada preferência antes de piedade para os pais, no entanto, que é um grande e necessário parte da nossa religião. O Nazarites, nos termos da lei, não eram para chorar por seus próprios pais, porque eles estavam consagrados ao Senhor (Números 6: 6-8), nem era o sumo sacerdote se contaminar pelos mortos, não, nem por seu próprio pai , Levítico 21: 11,12. E Cristo requer daqueles que iria segui-lo, que eles odeiam pai e mãe (Lucas 14:26) amá-los menos do que Deus devemos comparativamente negligência e disesteem nossos parentes mais próximos, quando entram em competição com Cristo, e quer o nosso fazer para -lo, ou o nosso sofrimento para ele.(notas Mathew Henrys, evangelho de mateus).



Subsidio CPAD evangelismo especial n.11


                     SUBSIDIO LIÇÃO CPAD ADULTOS



                            EVANGELISMO ESPECIAL
                         N.11 TERCEIRO TRIMESTRE

                                      Escritor Mauricio Berwald

Nós temos nos evangelhos um registro fiel de tudo o que Jesus começou a fazer e ensinar, Atos 1: 1Atos 1: 1 . Estes dois são entrelaçados, porque o que ele ensinou explicou o que ele fez, eo que ele fez confirmou o que ele ensinou. Assim, temos neste capítulo um milagre e um sermão. I. O milagre foi a cura de um homem impotente que tinha sido doente trinta e oito anos, com as circunstâncias do que a cura, John 5: 1-16John 5: 1-16 . II. O sermão foi vindicação de Cristo de si mesmo antes do Sinédrio, quando ele foi processado como um criminoso para a cura do homem no dia de sábado, em que, 1. Ele afirma sua autoridade como Messias, e Mediador entre Deus eo homem, João 5: 17-29João 5:17 -29 . 2. Ele prova-lo pelo testemunho de seu Pai, de João Batista, de seus milagres, e das escrituras do Antigo Testamento, e condena os judeus por sua incredulidade, João 5: 30-47João 5: 30-47 .

versículos 1-16
The Cure no tanque de Betesda.
1 Depois disso havia uma festa dos judeus e Jesus subiu a Jerusalém. 2 Ora, em Jerusalém, a ovelha mercado de uma piscina, que é chamado em hebraico Betesda, tem cinco alpendres. 3 Nestes jazia grande multidão de gente impotente, cegos, mancos, murcha, esperando o movimento da água. 4 Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; todo aquele que, em seguida, pela primeira vez após o perturbador da água entrou em cena foi curado de qualquer enfermidade que tivesse. 5 E um certo homem estava lá, que tinha uma enfermidade trinta e oito anos. 6 Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava neste estado havia muito tempo , nesse caso, disse-lhe: Queres ficar são? 7 O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho ninguém que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; assim, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. 8 Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito e anda. 9 Imediatamente o homem ficou são; e tomou o seu leito, começou a andar e, no mesmo dia era sábado. 10 Então os judeus disseram àquele que tinha sido curado: Hoje é o dia de sábado: não te é lícito levar a tua cama. 11 Respondeu-lhes: Aquele que me curou, esse mesmo me disse: Toma o teu leito e anda. 12 Perguntaram-lhe, Qual é o homem que te disse: Toma o teu leito e anda? 13 E aquele que fora curado não sabia quem era, porque Jesus se havia retirado, sendo uma multidão em que lugar. 14 Depois Jesus encontrou-o no templo, e disse-lhe: Eis que já estás curado; não peques mais, para que alguma coisa pior virá a ti. 15 E aquele homem, e contou aos judeus que era Jesus, o que lhe tinha feito todo. 16 E, portanto, que os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado.

Esta cura milagrosa não é registrada por qualquer outro dos evangelistas, que se limitam principalmente para os milagres operados na Galiléia, mas John diz respeito aos forjado em Jerusalém. Quanto a esta observação,

I. O momento em que esta cura foi feito: foi a uma festa dos judeus, isto é, a páscoa, para que era a festa mais celebrada. Cristo, embora residindo na Galiléia, mas subiu a Jerusalém na festa, John 5: 1John 5: 1 . 1. Porque era um decreto de Deus, que, como um assunto, ele iria observar, sendo feita ao abrigo da lei que como um filho que ele poderia ter pediu uma isenção. Assim, ele iria nos ensinar a participar de assembléias religiosas. Hebreus 10:25Hebreus 10:25 . 2. Porque era uma oportunidade boa para: (1) havia grandes números reunidos lá naquele momento era um encontro geral, pelo menos de todas as pessoas de pensamento sério, de todas as partes do país, além de outros prosélitos nações: e sabedoria deve chorar nos lugares de concurso, Provérbios 01:21Provérbios 01:21 . (2) Era de se esperar que eles estavam em um bom quadro, pois eles se reuniram para adorar a Deus e de gastar seu tempo em exercícios religiosos. Agora uma mente inclinado a devoção, e isolar-se aos exercícios de piedade, encontra-se muito aberto às novas descobertas da luz divina e amor, e que Cristo será aceitável.

II. O lugar onde esta cura foi feito: no tanque de Betesda, que teve uma virtude cura milagrosa nele, e é aqui particularmente descrita, John 5: 2-4John 5: 2-4 .

1. Quando foi situado: Em Jerusalém, pelas ovelhas para o mercado epi te probatike . Ele poderia muito bem ser prestados a ovelha-cote, onde as ovelhas foram mantidos, ou a ovelha-gate, que lemos, Neemias 3: 1Neemias 3: 1 , através da qual as ovelhas foram trazidos, como a ovelhas para o mercado, onde foram vendidos . Alguns pensam que estava perto do templo, e, em caso afirmativo, que rendeu um espetáculo melancólico, mas rentável para aqueles que subiram ao templo para orar.

2. Como ele foi chamado: Foi uma piscina (a lagoa ou banheira), que é chamado em hebraico, Bethesda - a casa de misericórdia para aí apareceu muito da misericórdia de Deus aos doentes e enfermos. Num mundo de tanta miséria como este é, é bom que existem algumas Bethesdas - casas de misericórdia (remédios contra essas doenças), que a cena não é tudo melancolia. Uma esmola-casa, de modo Dr. Hammond. A conjectura de Dr. Lightfoot é que esta foi a piscina superior ( Isaías 7: 3Isaías 7: 3 ), ea piscina velha, Isaías 22:11Isaías 22:11 que tinha sido utilizada para a lavagem das contaminações cerimoniais, por conveniência de que as varandas foram construídas para vestir e despir-se em, mas foi recentemente tornou medicamento.

3. Como foi montado em cima: Ele tinha cinco alpendres, claustros, praças, ou caminhadas telhado, em que o leigo doente. Assim, a caridade dos homens concordou com a misericórdia de Deus para o alívio dos aflitos. A natureza forneceu remédios, mas os homens devem fornecer hospitais.

4. Como foi frequentado com doentes e aleijados ( João 5: 3João 5: 3 ): . Nestes jazia grande multidão de pessoas impotentes Quantas são as aflições dos aflitos neste mundo! Como cheio de reclamações são todos os lugares, e quais multidões de pessoas impotentes! Pode fazer-nos bem para visitar os hospitais, por vezes, para que possamos tomar ocasião, das calamidades dos outros, para agradecer a Deus por nossos confortos. O evangelista especifica três tipos de pessoas doentes que estavam aqui, cegos, mancos, e secou ou tendões - encolhido, quer numa parte específica, como o homem com a mão atrofiada, ou todo paralítico. Estes são mencionados porque, sendo menos capaz de ajudar a si mesmos na água, eles colocam mais longa espera nas varandas. Os que estavam doentes dessas doenças corporais tomou as dores para vir agora e teve a paciência de esperar muito tempo por uma cura qualquer um de nós teria feito o mesmo, e devemos fazê-lo, mas o que os homens eram tão sábio por suas almas, e, como solícitos para obter as suas doenças espirituais curado! Estamos todos, por natureza, pessoas impotentes em coisas espirituais, cegos, mancos, e murcho , mas prestação eficaz é feita para a nossa cura se vamos deixar de observar ordens.

5. Que virtude que tinha para a cura dessas pessoas impotentes ( João 5: 4João 5: 4 ). Um anjo desceu, e agitava a água e aquele que primeiro entrou em cena foi feito todo. Que esta estranha virtude na piscina era natural, ou artificial em vez disso, e foi o efeito da lavagem dos sacrifícios, que impregnaram a água com não sei o que cura virtude mesmo para cegos povo, e que o anjo era um mensageiro, uma pessoa comum, enviado para agitar a água, é completamente infundada havia um quarto no templo com o propósito de lavar os sacrifícios. Expositores em geral concordam que a virtude esta piscina tinha era sobrenatural. É verdade os escritores judeus, que não são económicas em recontando os louvores de Jerusalém, faça nenhum deles fazem menos a menção a este piscina cura, dos quais o silêncio sobre este assunto talvez esta seja a razão, que foi levado para um presságio da abordagem perto do Messias, e, portanto, aqueles que ele negou a ser vêm industriously escondido tal indicação da sua vinda, para que tudo isso é a conta que temos dele. Observar,

(1.) A preparação do medicamento por um anjo que desceu para a piscina, e agitou-se a água. Os anjos são servos de Deus, e os amigos para a humanidade e, talvez, são mais ativas na remoção de doenças (como anjos maus na infligir deles) do que estamos cientes. Raphael, o nome apócrifo de um anjo, significa medicina Dei - física de Deus, ou médico , em vez. Veja o que significa escritórios santos anjos rebaixar a, para o bem dos homens. Se quisermos fazer a vontade de Deus como os anjos fazê-lo, devemos pensar nada abaixo de nós, mas o pecado. O preocupante da água foi o sinal dado da descida do anjo, como o de ir em cima dos topos das amoreiras era a Davi, e, em seguida, eles devem apressarás si. As águas do santuário são então cura quando eles são colocados em movimento. os ministros devem reavivar o dom que há neles. Quando eles são frios e sem brilho em suas ministrações, as águas resolver, e não são capazes de curar. O anjo desceu, para agitar a água, não diariamente, talvez não com freqüência, mas em certo tempo alguns pensam, nas três festas solenes , para enfeitar essas solenidades ou, de vez em quando, como sabedoria infinita entendesse. Deus é um agente livre em dispensar seus favores.

(2.) A operação da medicina: . Quem primeiro entrou em cena foi curado aqui é, [1] medida milagrosa da virtude quanto às doenças curadas que soever da doença, foi, esta água curado. Banhos naturais e artificiais são tão doloroso em alguns casos, como eles são úteis em outros, mas este foi um remédio para cada doença, mesmo para aqueles que vieram de causas contrárias. O poder dos milagres tem sucesso onde o poder da natureza sucumbe. [2] Uma limitação milagrosa da virtude como às pessoas curadas: Aquele que primeiro entrou em cena teve o benefício que é, ele ou eles que interveio imediatamente foram curados, não aquelas que demorou e veio em seguida. Isso nos ensina a respeitar e melhorar as nossas oportunidades, e para olhar sobre nós, que não escorregar uma temporada que pode nunca voltar. O anjo agitou as águas, mas deixou o doente a si mesmos para entrar. Deus colocou força nas escrituras e ordenanças, pois ele nos teria curado, mas, se não fizermos uma devida melhoria deles, é nossa própria culpa , nós não seria curado.

Agora tudo isso é a conta que temos desta posição milagre é incerto quando começou e quando cessou. Alguns conjecturam que começou quando Eliasibe, o sumo sacerdote começou a construção do muro de Jerusalém, eo santificou com a oração e que Deus testemunhou a sua aceitação por colocar essa virtude na piscina adjacente. Alguns pensam que começou agora ultimamente no nay nascimento de Cristo, outros em seu baptismo. Dr. Lightfoot, encontrando em Josephus, Antiq. 15. 121-122, a menção de um grande terremoto no sétimo ano de Herodes, trinta anos antes do nascimento de Cristo, supostamente, uma vez que costumava haver terremotos na descida dos anjos, que, em seguida, o anjo primeiro desceu para agitar esta água. Alguns pensam que cessou com esse milagre, outros na morte de Cristo no entanto, é certo que tinha um significado agradável. Primeiro, foi um sinal de boa vontade de Deus para que as pessoas, e uma indicação de que, apesar de terem estado muito tempo sem profetas e milagres, mas Deus não tinha lançaram fora se fossem agora um oprimido povo desprezado, e muitos estavam prontos para dizer: Onde estão todas as maravilhas que nossos pais nos contaram? Deus fez decide deixá-los saber que ele tinha ainda uma gentileza para a . cidade de suas solenidades Podemos, portanto, tomar a ocasião para reconhecer com poder e bondade gratidão de Deus nas águas minerais, que contribuem tanto para a saúde da humanidade para Deus fez as fontes de água, Apocalipse 14: 7Apocalipse 14: 7 . em segundo lugar, era um tipo de Messias, que é a fonte aberta e destinava-se a aumentar as expectativas dele das pessoas, que é o Sol da justiça, que surge com a cura debaixo das suas asas. Estas águas anteriormente tinha sido usado para purificar, agora para a cura, para significar tanto a limpeza e cura virtude do sangue de Cristo, que o banho incomparável, que . cura todas as nossas doenças as águas de Siloé, que enchiam esta piscina, significou o reino de Davi e de Cristo, o Filho de David ( Isaías 8: 6Isaías 8: 6 ), bem ajustado, portanto, têm que agora isso soberana virtude colocar neles. A pia da regeneração é para nós como associação de Bethesda, cura de nossas doenças espirituais não em determinadas épocas do ano, mas em todos os momentos. Quem vai, venha.

III. O paciente em quem esta cura foi feito ( John 5: 5João 5: 5 ): um que tinha sido enfermos trinta e oito anos. 1. Sua doença era grave: Ele tinha uma enfermidade, uma fraqueza que ele tinha perdido o uso de seus membros, pelo menos, de um lado, como é usual em paralisia. É triste ter o corpo de modo deficiente que, em vez de ser o instrumento da alma, é tornar-se, até mesmo nos negócios desta vida, a sua carga. Que razão temos de agradecer a Deus por força corporal, usá-lo para ele, e à piedade aqueles que são seus prisioneiros! 2. A duração da era tediosa:. Trinta e oito anos Ele era coxo mais tempo do que a maioria vive. Muitos são tão longo desativada para os cargos de vida que, como o salmista reclama, eles parecem ser feitos em vão para o sofrimento, não para o serviço nasceu para ser sempre morrendo. Vamos queixam-se de uma noite cansativa, ou um ataque de doença, que talvez por muitos anos têm pouco conhecido o que tem sido a de ser um dia doente, quando muitos outros, melhor do que nós, ter sabido pouco o que tem sido a de ser um dia bem? Nota do Sr. Baxter sobre esta passagem é muito comovente: "Como é grande a misericórdia foi viver trinta e oito anos sob disciplina rigorosa de Deus Ó meu Deus," diz ele, "Graças te dou para a disciplina como a de cinquenta e oito anos como cofre de vida é essa, em comparação de prosperidade completo e prazer! "

IV. A cura e as circunstâncias de que brevemente relacionados, John 5: 6-9John 5: 6-9 .

1. Jesus viu mentir. Observe-se, Quando Cristo veio a Jerusalém, ele não visitou os palácios, mas os hospitais, que é uma instância de sua humildade e condescendência, e terna compaixão, e uma indicação de seu grande projeto em que entram em o mundo, o que era para buscar e salvar os doentes e feridos. Havia uma grande multidão de pobres aleija aqui em Bethesda, mas Cristo presa seu olho sobre este, e escolheu-o para fora do descanso, porque ele era mais velho da casa, e em uma condição mais deplorável do que qualquer um dos demais e Cristo delicia para ajudar os indefesos, e tem misericórdia de quem quer ter misericórdia. Talvez seus companheiros na tribulação insultado sobre ele, porque muitas vezes ele tinha sido desapontado de uma cura, portanto, Cristo levou-o para o seu paciente: é sua homenagem a lado com o mais fraco, e suportar aqueles a quem ele vê degradado.

2. Ele sabia e considerava quanto tempo ele tinha estado nesta condição. Aqueles que têm sido por muito tempo em aflição pode confortar-se com isso, que Deus mantém conta quanto tempo, e conhece a nossa estrutura.

3. Ele perguntou-lhe: Queres ficar são? A pergunta estranha para ser um pediu que tinha sido tanto tempo doente. Alguns realmente não iria ser curado, porque as suas feridas servi-los a mendigar por e servi-los para uma desculpa para a preguiça, mas este pobre homem era tão incapaz de ir um implorando a trabalhar, ainda Cristo colocá-lo para ele, (1.) para expressar a sua própria piedade e preocupação para ele. Cristo é ternamente curiosos sobre os desejos daqueles que estão em aflição, e está disposto a saber qual é a sua petição: "O que devo fazer para você" (2.) para tentar se não queria ser obrigado por uma cura para ele contra a qual as grandes pessoas eram tão preconceituosa e procurou prejudicar outros. (3.) para ensiná-lo a valorizar a misericórdia e para excitar nele desejos depois. Em casos espirituais, as pessoas não estão dispostos a ser curada de seus pecados, são loth a participar com eles. Se, portanto, este ponto foram, mas ganhou, se as pessoas estavam dispostos a ser curado, o trabalho foi feito parcialmente, pois Cristo está disposto a curar, se nós ser, mas disposto a ser curado, Matthew 8: 3Matthew 8: 3 .

4. O homem impotente pobre aproveita a oportunidade para renovar a sua reclamação, e expor a miséria do seu caso, o que torna a sua cura o mais ilustre: Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, João 5: 7João 5: 7 . Ele parece levar a pergunta de Cristo como uma imputação de descuido e negligência: "se tu tinha uma mente para ser curado, queres ter olhado melhor teus hits, e tem nas águas de cura muito antes de agora." "Não, Mestre", diz o homem pobre, "Não é por falta de boa vontade, mas de um bom amigo, que eu sou não curada. Eu fiz o que pude para me ajudar, mas em vão, pois ninguém mais vai me ajudar. " (1) Ele não pensa em qualquer outra forma de ser curado do que por essas águas, e desejos nenhum outro amizade do que ser ajudado para eles , portanto, quando Cristo curou, de sua imaginação ou expectativa não poderia contribuir para isso, pois ele pensou em tal coisa. (2.) Ele se queixa por falta de amigos para ajudá-lo em: " Eu não tenho nenhum homem, nenhuma amiga para mim fazer isso bondade." Alguém poderia pensar que alguns daqueles que vinham se curado deveria ter-lhe emprestou uma mão, mas é comum para os pobres seja destituído de amigos ninguém cuida de sua alma. Para os doentes e impotente é tão verdadeiro um pedaço de caridade para trabalhar para eles como para aliviá-los e, assim, os pobres são capazes de ser caridade uns para os outros, e deve ser assim, embora raramente achar que eles são tão falo-lo para a sua vergonha. (3.) Ele lamenta sua infelicidade, que, muitas vezes, quando ele estava vindo outra entrou em cena diante dele. Mas um passo entre ele e uma cura, e ainda assim ele continua impotente. Nenhum deles tinha a caridade de dizer: "O seu caso é pior do que a minha, você vai fazer agora, e eu vou ficar até a próxima vez" pois não há obtenção sobre a velha máxima, cada um por si. Tendo sido tão frequentemente desapontado , ele começa a se desesperar, e agora é hora de Cristo para vir para seu alívio, ele tem prazer em ajudar em casos desesperados. Observe-se, Como levemente este homem fala da crueldade dos outros sobre ele, sem quaisquer reflexos rabugentos. Como devemos ser gratos pelo menos bondade, por isso, deve ser paciente sob as maiores desprezos e, vamos nossos ressentimentos ser sempre tão pouco, ainda nossas expressões deve sempre estar calmo. E observar ainda, em seu louvor, que, embora não tivesse esperou tanto tempo em vão, ainda assim ele continuou deitado ao lado da piscina, na esperança de que algum dia ou outro tipo de ajuda viria, Habacuque 2: 3Habacuque 2: 3 .

5. O nosso hereupon Senhor Jesus cura-lo com uma palavra de língua, embora ele nem perguntou ela nem pensava nisso. Aqui está,


(1.) A palavra que ele disse: Levanta-te, toma o teu leito, John 5: 8John 5: 8 . [1] Ele é ordenado a levantar e caminhar um comando estranho para ser dado a um impotente homem, que tinha sido desativada, mas esta palavra divina era para ser o veículo de um poder divino que era uma ordem para que a doença se ter ido embora , à natureza para ser forte, mas é expresso como um comando para que ele apressarás si mesmo. ele deve levantar-se e caminhar, ou seja, a tentativa de fazê-lo e, no ensaio , ele deve receber força para fazê-lo. A conversão de um pecador é a cura de uma doença crônica isso é normalmente feito pela palavra, uma palavra de comando: Levanta-te e anda por sua vez, e viver que vos um coração novo , que não mais supõe um poder em nós para fazê-lo, sem a graça de Deus, distinguindo graça, que esta suposta tal poder no homem impotente. Mas, se ele não tivesse tentado ajudar a si mesmo, ele não tinha sido curado, e ele deve ter suportado a culpa ainda não tem, portanto, segue que, quando ele fez ascensão e andar, foi por sua própria força não, foi por o poder de Cristo, e ele deve ter toda a glória. Observe-se, Cristo não oferecê-lo subir e ir para as águas, mas levantar-se e andar. Cristo fez por nós o que a lei não podia fazer, e isso de lado. [2] Ele é ordenado a ocupar sua cama. Em primeiro lugar, Para fazer com que ele apareça que era uma cura perfeita, e puramente milagrosa para que ele não se recuperou força em graus, mas a partir da extremidade de fraqueza e impotência de repente ele entrou no mais alto grau de força física para que ele foi capaz de realizar tão grande uma carga como qualquer porteiro que tinha sido tanto tempo usado a ele como ele estava fora de uso. ele, que neste momento não foi capaz de transformar-se em sua cama, no minuto seguinte foi capaz de levar a sua cama. O homem paralítico ( Matthew 9: 6Mateus 9: 6 ), foi mandado para ir a sua casa, mas provavelmente este homem não tinha nenhuma casa para ir, o hospital era a sua casa, portanto, ele é ordenado a subir e caminhada. Em segundo lugar, Foi para anunciar a cura, e torná-la pública para, sendo o dia de sábado, quem carregava um fardo pelas ruas fez-se muito notável, e cada um de inquirir o que era o significado dela, assim, conhecimento do milagre se espalharia , para a honra de Deus. em terceiro lugar, Cristo teria, assim, testemunhar contra a tradição dos antigos, que havia estendido a lei do sábado para além da sua intenção e seria igualmente mostrar que ele era Senhor do sábado, e tinha poder para fazer o que alterações que quisesse sobre isso, e para o excesso de governar a lei. Josué e o exército de Israel, marcharam sobre Jericho no dia de sábado, quando Deus lhes mandou, assim que este homem levar sua cama, em obediência a um comando. O caso pode ser tal que ele pode se tornar uma obra de necessidade, ou misericórdia, para transportar uma cama no dia de sábado, mas aqui foi mais, foi uma obra de piedade, sendo projetado exclusivamente para a glória de Deus. Em quarto lugar, Ele que decide experimentar a fé e obediência de seu paciente. Através da realização de sua cama publicamente, ele expôs-se à censura do tribunal eclesiástico, e foi responsável, pelo menos, a ser açoitado na sinagoga. Agora, ele vai correr o risco de isso, em obediência a Cristo? Sim, ele vai. Aqueles que foram curados pela palavra de Cristo deve ser governado por sua palavra, custasse o que custasse.(notas Mathew Henrys evangelho de Mateus).