quarta-feira, 30 de março de 2016

Lições antigas parabolas de Jesus 2015 (2)

                     

 Lição 2 - Parábolas – COMPREENDENDO

        A MENSAGEM DO REINO DE DEUS
   2º Trimestre 2005 - As Parábolas De Jesus




TEXTO ÁUREO: “Ele, respondendo, disse-lhes: Porque a vós é dado conhecer os mistérios do Reino dos céus, mas a eles não lhes é dado” (Mt 13.11)

VERDADE PRÁTICA: Na semeadura da Palavra de Deus, é de muita importância a qualidade da terra que recebe a divina semente.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: MATEUS 13.1-9

1 Naquele mesmo dia Jesus saiu de casa e assentou-se junto ao mar. 2 Ajuntaram-se grandes multidões ao seu redor, de sorte que entrou num barco e se assentou, enquanto toda a multidão estava em pé na praia. 3 E falou-lhes de muitas coisas por meio de parábolas, dizendo: Certo semeador saiu a semear. 4 E, quando semeava, parte da semente caiu à beira do caminho, e vieram as aves e a comeram. 5 Outra parte caiu em terreno pedregoso, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque a terra não era funda. 6 Mas, saindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz. 7 Outra parte caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e a sufocaram. 8 Outra caiu em boa terra, e deu fruto: uma semente produzindo a cem, outra a sessenta e ainda outra a trinta por um. 9 Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

SAIU O SEMEADOR A SEMEAR. Esta parábola conta como o evangelho será recebido no mundo. Três verdades podem ser aprendidas nesta parábola:
(1) A conversão e a frutificação espiritual dependem de como a pessoa se porta ante a Palavra de Deus (v. 14; cf. Jo 15.1-10).
(2) Haverá diferentes reações ante o evangelho, da parte do mundo. Uns ouvirão, mas não entenderão (v. 15; Mt 13.19). Uns crerão, mas depois se desviarão (vv. 16-19). Uns perseverarão e frutificarão em diferentes proporções (v. 20).
3) Os inimigos da Palavra de Deus são: Satanás, os cuidados deste mundo, as riquezas e os prazeres pecaminosos desta vida (vv. 15,19; Lc 8.14).

AS PARÁBOLAS DO REINO.
 No capítulo 13 de Mateus temos as parábolas do reino dos céus, que descrevem o resultado da pregação do evangelho e das condições espirituais prevalecentes na terra, na esfera da manifestação visível do reino dos céus, até o fim dos tempos.
(1) Em quase todas estas parábolas, Cristo ensina que dentro da esfera da manifestação visível atual, do reino dos céus entre os homens, haverá o bem e o mal, e o verdadeiro e o falso. Entre aqueles que professam aqui o seu nome, haverá a apostasia e o mundanismo, bem como a fidelidade e a piedade. No fim da presente era, o mal será destruído (vv. 41, 49), mas os justos resplandecerão como o sol, no Reino de seu Pai (v. 43).
(2) Estas parábolas foram proferidas a fim de que os verdadeiros seguidores de Deus saibam que o mal e a oposição da parte de Satanás e seus seguidores existirão aqui na terra, até mesmo dentro do atual reino visível dos céus (vv. 25,38,48), que é a igreja, uma manifestação parcial do pleno e futuro reino prometido por Deus a Davi, e que será regido por Jesus (2 Sm 7.12-16; Lc 1.32,33; Dn 2.44; Ap 11.15). A única maneira de a pessoa vencer Satanás e a influência do mal será pela dedicação sincera e total a Cristo (vv. 44, 46), e vivendo em santidade (v. 43; ver Ap 2.3 para exemplos de bem e do mal dentro das igrejas).
(3) As parábolas são histórias tiradas da vida diária para descrever e ilustrar certas verdades espirituais. Sua singularidade consiste em revelar a verdade aos espirituais e, ao mesmo tempo, ocultá-la dos incrédulos (v.11). A parábola pode, às vezes, demandar uma decisão da pessoa (e.g., Lc 10.30-37).

LEITURA DIÁRIA:

Segunda - Mt 7.24-27 Dois tipos de ouvintes, sensato e insensato
Terça - Jo 4.40-42 Os samaritanos ouvem e crêem na Palavra
Quarta – Jo 5.24 A recompensa de quem ouve e crê na Palavra
Quinta – Rm 10.17 A fé provém do ouvir a Palavra
Sexta - 1 Ts 1.6 Devemos receber a Palavra com alegria
Sábado – Tg 1.19 O crente deve sempre estar pronto para ouvir

OBJETIVOS

Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a:
1-Narrar esta parábola com suas próprias palavras.
2-Verbalizar o propósito central do ensino de Cristo nesta parábola.
3-Aplicar as lições desta parábola em sua própria vida.

PONTO DE CONTATO: Professor, segundo a Bíblia, a fé nasce no coração do pecador quando este ouve a Palavra de Deus, pois não se pode crer “naquele de quem não se ouviu” (Rm 10.14,17). Para que a fé nasça no coração do homem, é necessário que a Palavra de Deus seja-lhe comunicada com clareza. Nesta lição, os quatro tipos de solos que estudaremos, representam o modo como as pessoas respondem à pregação do Reino de Deus em seus corações. Tenha em mente que sempre haverá diferentes respostas aos seus ensinos, por isso, ore a fim que o Espírito Santo convença os seus alunos a respeito das verdades bíblicas que serão apresentadas durante esta aula (Jo 16.7-13).
SÍNTESE TEXTUAL: A parábola do Semeador é a primeira dentre as sete proferidas por Jesus às margens da Galiléia, e todas fazem parte do primeiro grupo de discursos feitos por Cristo, registrado em Mateus 13.1-58. Os objetivos do Mestre nestas exposições eram patentes: combater a oposição dos fariseus ao seu ministério e instruir seus discípulos concernente à natureza e ao crescimento do reino messiânico.
Nesta parábola, a semente que frutificou foi justamente a que caiu em “boa terra” (v.8). As demais, perderam-se à “beira do caminho” (v.4), “nos pedregais” (v.5), e entre os “espinhos” (v.7). Há pessoas que, mesmo entendendo a mensagem divina, não respondem positivamente à pregação do Evangelho (Rm 10.16), seja pela incredulidade e dureza de seu coração (Mc 16.14), ou pela ação do Maligno (2 Co 4.4). Contudo, muitos ouvem e compreendem a mensagem do Reino de Deus, produzindo frutos espirituais. O ensino central desta parábola é que o Reino de Deus se manifesta a todos os homens, mas nem todos compreendem sua mensagem.
ORIENTAÇÃO DIDÁTICA: Professor, para esta lição, utilize como recurso um Gráfico Descritivo. Através dele você pode apresentar a seus alunos um resumo da interpretação de Mateus 13.18-23.
Distribua uma folha para cada aluno contendo apenas o nome dos quatro tipos de terrenos nas colunas correspondentes. À medida que a parábola for sendo interpretada, os alunos poderão preencher o restante das colunas.

TIPOS DE TERRENO
BEIRA DO CAMINHO
EM PEDREGAIS
ENTRE ESPINHOS
EM TERRA FÉRTIL
DESCRIÇÃO
Mt 13.19
Mt 13.20
Mt 13.22
Mt 13.23
PRONTIDÃO
Ouve
Ouve
Ouve
Ouve
RECEPÇÃO
Não entende
Recebe com Alegria
Seduzido pela riqueza
Compreende
CONCLUSÃO
Maligno arrebata a semente (2Co 4.4)
Não resiste a angústia e ofende-se (Rm 8.31-39)
Sufoca a semente (1Tm 6.10)
Produz fruto ( 1Co 15.58)

COMENTÁRIO: INTRODUÇÃO
A parábola do Semeador relata com exatidão a humanidade através dos tempos. É interessante mencionar que o próprio Jesus, após narrá-la, revelou o significado desta para seus discípulos. Nesta parábola, Ele se volta para a vida agrícola de Israel com o objetivo de ilustrar os tipos de corações que recebem a semente da Palavra de Deus, tornando-a um dos mais edificantes e esclarecedores ensinos a respeito deste assunto.


Princípios Básicos da Palavra de DEUS:

1- Palavras São Sementes
"A semente é a palavra de Deus” (Lc 8.11)

2- Palavras Faladas São Sementes Plantadas
Gn 3.5 Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal. (Plantação de Satanás).
Jo 5.24 Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida.

3- Cada Semente Produz De Acordo Com Sua Espécie
Gn 1.12 A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo as suas espécies, e árvores que davam fruto que tinha em si a sua semente, segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom. (Semente de Abacate produz abacate e não Laranja)
Palavra De DEUS Produz Vida - Jo 6.63 O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.
Palavra De Satanás Produz Morte - Rm 5.12 Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram.

4- Palavras Têm Poder Para Produzir Vida Ou Morte
Dt 30.19 O céu e a terra tomo hoje por testemunhas contra ti de que te pus diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, (Tanto Moisés como Josué fizeram com que o povo confessasse a aliança)
Pv 18.21 A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.

- Um ovo de águia num ninho de Galinha não produzirá um pintinho, mas sim uma aguiazinha ou pintainho.
- Quando vamos nos consultar e temos algum problema de saúde o médico pergunta logo se temos alguém na família como o mesmo tipo de problema, porque ele sabe que podemos herdar alguma doença de nossos pais ou parentes (congênito); a semente estava plantada. Por isso nascemos em pecado, herdado de nosso primeiro pai Adão. É preciso nascer de novo de nova semente, da Palavra de DEUS, para que assim possamos gerar vida e vida em abundância.
Êx 20.5 Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. (Gl 3.13- solução)

Condição para salvação (é pela graça, através da fé, porém tem que haver palavras de vida para confirmação)
Mt 10. 32 Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus.
Rm 10.9 Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo;

5- Quem dá corpo à semente é DEUS
1Co 15.38 Mas Deus dá-lhe o corpo como quer, e a cada semente o seu próprio corpo.


I. O SEMEADOR
O semeador escolhe as sementes (Palavra de DEUS) que vai plantar e deve ter conhecimento da maneira mais correta de se plantar e qual a estação mais própria para o plantio; muitas vezes deve-se preparar o terreno antes de se iniciar a semeadura.

No contexto da parábola em estudo, o semeador é o próprio Cristo. O texto diz: “O semeador saiu a semear” (v.3). Ler Mt 4.23; 9.35; Lc 8.1. Jesus foi, de modo incansável e exemplar, o primeiro semeador das Boas Novas. Depois de sua ascensão, o Espírito Santo foi enviado para lembrar aos discípulos as verdades espirituais ensinadas pelo Senhor, capacitá-los com poder do alto e impulsioná-los a, sem cessar, disseminá-las por todo o mundo (Jo 14.26). A missão evangelizadora dos discípulos de Cristo é evidenciada em dois textos dos Evangelhos (Mt 28.19,20 e Mc 16.20). O Espírito Santo é vital na semeadura da Palavra de Deus. Ele é quem inspira os semeadores a semear e a regar a semente depois de lançada no solo. A expressão “o vento assopra onde quer” (Jo 3.8) implica a ação do Espírito semeando a Palavra de Deus.
Todo crente em Cristo deve ser um dedicado e fervoroso semeador da sua Palavra. Fomos salvos para servir ao Senhor, e isso abrange com prioridade semear de todas as maneiras a boa semente, que é a Palavra de Deus. Nisso, devemos servir ao Senhor com amor, renúncia e dedicação (Sl 126.6).

II. A SEMENTE
A semente que vamos semear é o evangelho, sempre tendo como principal semente o próprio JESUS e e este crucificado, sendo Este a semente de DEUS caída na Terra para que através D'Ele muitos frutos nascessem para DEUS. Esta semente de DEUS só poderia germinar e gerar uma frondosa árvore (Igreja) se morresse, pois a semente só gera vida se morrer.
Jo 12.24 Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.
Para dar vida a semente deve morrer, por isso JESUS morreu, para nos dar vida eterna.

Sementes precisam ser regadas com água: - Precisamos nos colocar à disposição do ESPÍRITO SANTO para que ELE fale através de nós, pois assim, estaremos falando de acordo com DEUS que quer salvar a todos. A unção faz a diferença, as palavras de DEUS quando são faladas por um servo de DEUS cheio do ESPÍRITO SANTO fazem efeito vital nos corações dos ouvintes e produzem grandes resultados na seara do Mestre.

A semente de que Jesus falou na parábola “é a palavra de Deus” (Lc 8.11). Em Mateus 13.19, é chamada “a palavra do Reino”, isto é, a palavra poderosa que rege o Reino de Deus. Em Marcos 4.14, é denominada “a palavra”, no sentido de inspirada, autêntica, inerrante, infalível, imutável, indivisível, única, ímpar, soberana, como somente a Escritura Sagrada o é. Ela é viva, eficaz e penetrante (Hb 4.12). “É o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê” (Rm 1.16). Uma vez em nós enxertada, ela gera, como instrumento de Deus, nova vida e assim pode nos salvar (Tg 1.18,21). Ela identifica-se com Deus, assim como um homem de bem é identificado por sua palavra honrada e confiável. O Senhor Jesus é chamado o Verbo; a Palavra (Jo 1.1,14; Ap 19.11-13; 1 Jo 1.1).
Aqueles que aceitam “a semente” (a Palavra, Cristo) recebem a vida eterna, porque Cristo é a própria vida (Jo 20.31; 11.25; 1 Jo 5.12).


III. O TERRENO PARA O PLANTIO DA SEMENTE (MT 13.4-8)
Nas contas de JESUS somente 25% dos ouvintes são aproveitados para o reino de DEUS (se referindo à pouca quantidade de ouvintes que atendem , pois são quatro os tipos de terreno, A beira do caminho (ao lado do caminho e não no caminho) , Os pedregais (corações duros como pedra), Os espinheiros (Machucam-se e são machucados) e a Terra Boa (esta com três tipos de aproveitamento - 100%, 60% e 30% - Pássaros voando em três níveis)
Jesus mencionou quatro tipos de terrenos nos quais a semente é semeada. Isso representa o coração das pessoas onde semeamos a Palavra de Deus. Jesus ensina nesta parábola que nem todos são igualmente receptivos à “boa semente”. Isso decorre da ação degenerante, deformadora e maligna do pecado no ser humano. Deus fez tudo bom no princípio (Gn 1.31; Ec 7.29). Hoje não há ninguém bom; só Deus é bom (Mt 19.17).

1. O terreno “ao pé do caminho” (vv.4,19).
Na verdade à beira do caminho, pois não está no caminho correto. O pior caminho é o caminho paralelo, o caminho da religiosidade, da justificação pelas obras ou pelo deixar de fazer algumas coisas.; a pessoa é enganada pelo "quase" - Quase é crente; - Quase se veste como crente; Quase fala como crente; Quase crê como crente;  - Quase - Quase foi salvo. Errar o alvo, mas quase acertar não leva ao céu.

Esse tipo de terreno é comparado a que classe de ouvintes? Segundo o próprio Jesus, são aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e não a entendem, nem se esforçam para compreendê-la (v.19). Inerrante Inerrante Inerrante Inerrante Inerrante Propriedade pela qual a Bíblia é isenta de qualquer erro em suas afirmações. Verbo Verbo Verbo Verbo Verbo Termo que descreve Jesus como a Palavra de Deus Encarnada. Na realidade, são negligentes, não se preocupam com os assuntos espirituais, nem com o seu destino eterno. Recebem a mensagem da salvação pelos canais de comunicação do intelecto, todavia não permitem que esta desça ao coração; por isso, ela não germina. São muitas e maléficas as influências exteriores que se alojam no coração humano e prevalecem na vida das pessoas, deixando a semente exposta na superfície da terra. Isto permite que as nocivas “aves do céu” (Lc 8.5,12) venham e arrebatem a semente lançada no coração endurecido, obstinado e resistente ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.
2. O terreno com pedregais (vv.5,6).
Por baixo do terreno existem pedras que não deixam a planta ser alimentada, por baixo da fé ainda existem amizades com o mundo que não deixam o crente crescer espiritualmente; é viver como Israel no tempo de Josué, ao invés de destruírem seus inimigos fizeram aliança com eles. Nascer de novo implica em ser diferente, "as coisas velhas passaram, tudo se fez novo"  2Co 5.17 Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. Pedras são as atrações do mundo, a volta ao passado de escravidão a Satanás, é o cão que volta ao vômito.

Esse tipo de solo representa a pessoa que de início recebe bem a Palavra de Deus, porém não persevera na fé em Cristo. São cheios de entusiasmo puramente emocional. Todavia, os obstáculos e provações da vida os impedem de crescer e frutificar. Os tais até choram quando ouvem a Palavra, reconhecem suas necessidades, porém não conseguem desvencilhar-se das pedras de sua vida pessoal. A semente é aceita, contudo não cria raízes pelo fato de o crente não ter firmeza, nem perseverança. As pedras podem representar tropeços morais, vícios, pecados sedutores e maus hábitos. Algo muito deplorável neste tipo de terreno é que além dele ser raso, tem pedra por baixo. Há crentes que na superfície demonstram ser uma coisa, no entanto, interiormente são outra. “Aborreço a duplicidade”, diz a Escritura (Sl 119.113; Tg 1.8; 4.8).
O crente “terreno raso” nos ensina que muitos aceitam a verdade, entretanto não permanecem firmes, nem se aprofundam na fé, na comunhão com Deus. Notemos no versículo seis que a planta “queimou-se e secou-se” não somente devido ao calor do sol, mas também “porque não tinha raiz”.

3. O terreno cheio de espinhos (v.7).
Espinhos machucam e são machucados, é terreno sem proveito, ao invés de fazerem a obra de DEUS, atrapalham os que estão fazendo. É a amizade com o mundo. Lêr a bíblia é ter dor de cabeça e olhos lacrimejantes, porém assistir novela e futebol na TV é prazer.

Diz o texto: “e outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na”. A semente fora bem plantada, porém o terreno havia sido abandonado por seu dono, tal qual o terreno de Pv 24.30-32. As ervas daninhas e os espinhos multiplicaram-se e sufocaram a planta, tornando-a improdutiva. Esses “espinhos” são as preocupações causadas pelo mundo, as cobranças da sociedade ímpia, os prazeres ilusórios da vida e o engano do acúmulo de riquezas materiais (Mt 13.22; Mc 4.19; Lc 8.14).
Nessas riquezas há espinhos que traspassam seus donos “com muitas dores” (1 Tm 6.10). A possessão de riqueza sem temor de Deus tem provocado sofrimento e sufocado a vida espiritual de muitos crentes, os quais ficam sem tempo para a oração, o estudo da Bíblia e o serviço do Senhor em geral. Assim, o terreno “cheio de espinhos” mostramos que muitos crentes permanecem na fé, contudo não são consagrados ao Senhor.

4. O terreno da boa terra (v.8).
Um terreno bom, porém três tipos de produção, a resposta é de acordo com a audição. Pássaros voam a um mesmo destino, porém cada qual voa a uma altura que lhe é mais favorável.

A “boa terra” acolhe bem a semente porque é macia, funda, limpa, úmida e apropriada. Nela, a semente, como diz o profeta, “tornará a lançar raízes para baixo e dará fruto para cima” (Is 37.31). As pessoas simbolizadas por este tipo de terreno ouvem e entendem a Palavra. Esta não volta vazia; sempre prospera (Is 55.11). Em 2 Tm 3.15-17 e no Salmo 119, encontramos inúmeras bênçãos para aqueles que buscam e amam a Palavra de Deus. Nesta mesma parábola em Lucas 8.15, Jesus aludiu a este coração como “honesto e bom”. Este último terreno ainda nos mostra que mesmo entre os crentes dedicados há diferente frutificação espiritual (vv. 8,23). Um grão produziu cem, outro, sessenta, e outro, trinta. Que poder maravilhoso há na Palavra do Deus vivo, quando ela encontra um terreno propício!

CONCLUSÃO
Nosso dever é plantarmos na maior quantidade as sementes que DEUS nos dá, sabendo que é para isto mesmo é que fomos escolhidos, chamados, separados e enviados.

Na parábola do Semeador, o Senhor Jesus nos ensina uma grande e permanente lição: É nosso dever prioritário, como seus servos, semear a Palavra de Deus utilizando todos os meios, “a tempo e fora de tempo”, como está dito em 2 Tm 4.2. Somente assim teremos um ministério abençoado, pois Deus dá semente a quem semeia (2 Co 9.10). Vemos ainda na parábola que apesar dos terrenos serem variados, a semente é uma só, ou seja, eles é que precisam mudar em relação a esta, e não o contrário. É urgente a evangelização mundial, por intermédio da pregação e do ensino da Palavra.
Inerrante
Propriedade pela qual a Bíblia é isenta de qualquer erro em suas afirmações.
Verbo
Termo que descreve Jesus como a Palavra de Deus Encarnada.

AUXÍLIOS SUPLEMENTARES: Subsídio Devocional
“ A Semente à beira do caminho
Conforme explicação dada pelo próprio Mestre, e Filho do Lavrador, a semente é a Palavra de Deus; o solo, os nossos corações. Os ouvintes de Jesus entendiam bem de solo, pois o relevo de seu país era bastante variado: dispunham de grandes extensões férteis, mas também lidavam com terrenos rasos e rochosos. Contudo, não conhecessem, talvez, o próprio coração. Você conhece o seu? Que tipo de solo é você? De que modo você tem recebido a pregação da Palavra?
No Israel antigo, os fazendeiros protegiam suas vinhas e jardins, cercando-os com sebes ou muros de pedra (Is 5.5). Entretanto, era difícil cercar grandes plantações; o custo não compensaria. Assim, os campos de trigo ou cevada não tinham cercas nem muros, e eram cortados por trilhas e estradas. Esses caminhos, de tanto serem pisados por pessoas e animais, tornavam-se chão batido, endurecido.
Em seu método um tanto primitivo de plantar, o lavrador fazia, ao mesmo tempo, a aradura e o plantio. Enquanto passava o arado puxado por uma junta de bois, ou de jumentos, ia também espalhando as sementes, que levava num cesto. Desse modo, as sementes misturavam-se ao solo revolvido, fofo e arejado. O problema é que o vento, que ajudava a espalhá-las, também as soprava para as trilhas de terra socada e enrijecida, onde, sem qualquer possibilidade de penetração, ficavam expostas aos olhos ávidos das aves, que imediatamente ajuntavam-se para devorá-las [...]
Alguns corações têm se tornado tão duros quanto o chão batido de um atalho no campo. Já não têm sensibilidade para as coisas espirituais; a mensagem divina já não pode penetrar-lhes o caráter empedernido. Alguns tornaram-se assim porque, dispondo de facilidades, concentraram-se nos prazeres terrenos, preferindo não dar ouvidos às coisas de Deus. Outros, depois de passar por sofrimentos prolongados, perderam a esperança e a fé; tornaram-se amargurados e incrédulos; deliberadamente, fecham o coração à Palavra. E há aqueles que abrigaram tantas crenças e doutrinas errôneas, e estas foram, aos poucos, sedimentando-se no solo de suas almas, a ponto de deixá-las secas e duras. A semente do evangelho cai sobre estas, mas sequer tem tempo de germinar, porque, qual ave agourenta, Satanás logo a arrebata.
Que tipo de prazeres têm lhe transitado pelas trilhas do coração? Que crenças falsas, que filosofias vãs, que influências maléficas vêm-lhe palmilhado os caminhos interiores?
Acaso o seu coração acha-se já tão calcificado, que não mais reage aos impulsos do Espírito santo?
A pregação da Palavra não mais afeta você? Rogue ao Senhor da seara que passe em seu coração o arado do Espírito, capaz de revolver o solo mais empedernido, e convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8). Ou, quem sabe, você precise do arado da tristeza que produz arrependimento, capaz de quebrar os torrões da indiferença e do descaso (2 Co 7.9,10); indiferença para com o pecado, e descaso para com a justiça e o juízo.” (ANDRADE, Marta Doreto de. Quando o amado desce ao jardim. RJ:CPAD, 2004, p. 174,175.).Leia mais Revista Ensinador Cristão CPAD, nº 22, pág. 37.



Nenhum comentário:

Postar um comentário