domingo, 6 de dezembro de 2015

MAURICIO BERWALD (MISSÕES URBANAS )

                              

                 EVANGELISMO E MISSÕES URBANAS
                         I. DEFINIÇÃO DE TERMOS
                       Artigo Mauriico Berwald



Existem três palavras interligadas na proclamação das Boas-Novas que merecem a nossa atenção: evangelho, evangelismo e evangelização. Estas definem e explicam a missão máxima da igreja na terra.

1. Evangelho (Mc 16.15). Só entenderemos a importância da missão evangelizadora da igreja compreendendo o significado de evangelho. O que é evangelho? No sentido mais simples, o evangelho é definido como “boas-novas de salvação em Cristo”. Noutras palavras, “evangelho” é o conteúdo da revelação de Deus, em Jesus como Salvador e Senhor de todas as criaturas que o aceitam como seu Salvador pessoal. Evangelho, portanto, é o conjunto das doutrinas da fé cristã que deve ser anunciado a toda criatura.
2. Evangelização. Mateus 28.19,20 apresenta o imperativo evangelístico de Cristo à sua igreja, com quatro determinações verbais:
a) Ir. No sentido de mover-se ao encontro das pessoas, a fim de comunicar a mensagem salvífica do evangelho;
b) Fazer discípulos. Com o sentido de “estar com” as pessoas e torná-las seguidoras de Cristo;
c) Batizar. É o ato físico que confirma o novo discípulo pela sua confissão pública de que Jesus Cristo é o seu Salvador e Senhor;
d) Ensinar as doutrinas da Bíblia, com o objetivo de aperfeiçoar e preparar o discípulo para a sua jornada na vida cristã.
3. Evangelismo. Possui um caráter técnico, pois se propõe a ensinar o cristão a cumprir, de modo eficaz, a tarefa da evangelização. O evangelismo na igreja local implica uma ação organizada e ativada pelos membros, para desenvolver três ações necessárias à pessoa do evangelista: informação, persuasão e integração do novo convertido.

Evangelho, evangelização e evangelismo distinguem-se quanto à prática, mas possuem as mesmas formações lingüísticas. Evangelização é o anúncio da mensagem. Evangelismo é a técnica de comunicação da mensagem.

II. A BASE DA EVANGELIZAÇÃO

O Pastor Guilhermo Cook, da Costa Rica, declarou num congresso de missões que a tarefa da evangelização está firmada em três bases distintas: a base cristológica, a ministerial e a sociológica.
1. A base cristológica. É evidente que a mensagem que pregamos aos pecadores só pode ser a mesma que Cristo pregou quando esteve na Terra. Jesus, ao iniciar o seu ministério terreno, o fez a partir da cidade de Nazaré, quando entrou numa sinagoga e levantou-se para ler a Escritura. Foi-lhe dado o livro do profeta Isaías e, ao abri-lo, leu e explicou o texto de Isaías 61.1,2 (ver Lc 4.18,19). Nesta Escritura, Cristo se identificou com a missão para a qual viera (Jo 1.14), mas não restringiu a mensagem e a missão evangelizadora para si, pois outorgou-as a seus discípulos (Jo 20.21). Ora, o mesmo Espírito que ungiu a Jesus para proclamar as boas-novas habita na Igreja para que ela dê continuidade à proclamação da mensagem salvadora do evangelho de Cristo (Lc 24.49; At 1.8; Rm 1.16).
2. A base ministerial. No Antigo Testamento identificamos três ministérios distintos: o sacerdotal, o real e o profético.
a) O sacerdote representava o povo diante de Deus, orando e intercedendo por ele no exercício do ministério no Tabernáculo ou no Templo;
b) O rei representava a Deus perante o povo, e simbolizava o domínio do divino sobre o humano;
c) O profeta era o intermediário entre Deus e o povo, comunicando a mensagem de amor e de juízo.

Quando Jesus se fez homem, exerceu esse tríplice ministério. Como rei, nasceu da linhagem real de Davi (Lc 1.32; Rm 1.3). Como sacerdote, foi declarado sacerdote de acordo com a ordem de Melquisedeque, e não segundo a levítica (Hb 7.11-17,21-27). Como profeta, Cristo foi identificado pela mensagem que pregava (Lc 4.18,19). Porém, o Senhor Jesus transferiu para a igreja esse tríplice ministério. A igreja é vinculada à linhagem real de Jesus, porque somos o seu corpo glorioso na terra (Ap 1.6; 1 Co 12.27). O sacerdócio da igreja é identificado pela sua presença no mundo como intermediária entre Deus e os homens. Exercemos esse ministério, cumprindo as responsabilidades sacerdotais: interceder e reconciliar o mundo com Deus (2 Co 5.18,19; Hb 2.17). E, por último, a igreja, ao anunciar a Cristo como Senhor e Salvador, cumpre o seu papel profético (1 Pe 2.9; At 1.8).
3. A base sociológica. Em síntese, pessoas evangelizam pessoas, pois Jesus morreu pelos pecadores. É sociológica porque a igreja emprega os meios da comunicação pessoal para persuadir os indivíduos de que Jesus é o Salvador; e porque a mensagem não se restringe a um grupo, mas tem por objetivo alcançar todas as criaturas.

Os três pilares, que alicerçam a evangelização - cristológico, ministerial e sociológico - descrevem os fundamentos por meio dos quais as igrejas locais realizam a missão evangelizadora.


III. A EVANGELIZAÇÃO URBANA E A TRANSCULTURAL

1. Evangelização urbana. Sem prescindir da evangelização nos meios rurais, é um fato notório em nossos tempos que a vida urbana é uma realidade que desafia e exige da igreja uma pronta e veemente atitude para alcançá-la. Existe um fluxo migratório incontrolável de pessoas que deixam a vida rural e saem em busca de melhores oportunidades nas grandes cidades. Muitos problemas sociais resultam da desorganização da vida urbana, e a igreja deve estar preparada para responder a esses dilemas.

Estratégias adequadas devem ser desenvolvidas para alcançar as pessoas. Os problemas típicos da vida urbana, tais quais a diversidade cultural, a marginalização social, o materialismo, a invasão das seitas e as tendências sociais, desafiam a igreja no sentido de, sem afetar a essência da mensagem do evangelho, demonstrar o poder da Palavra de Deus que transforma e dá esperança a todos (Rm 1.16).

2. Evangelização transcultural. A evangelização transcultural começa na vida urbana com as diferentes culturas vividas pelos seus habitantes. Porém, ela avança quando requer dos missionários uma capacitação especial para alcançar as pessoas. É preciso que o missionário tenha uma visão nítida de que a mensagem do evangelho é global, pois o Cristianismo deve alcançar cada tribo, e língua, e povo, e nação até as extremidades da terra (Is 49.6; At 13.47).
A missão evangelizadora da igreja é local e global Enquanto a evangelização local é intracultural (dentro da cultura do evangelista), a global é transcultural (fora da cultura do evangelista).


                       “Renovando e Alcançando Pessoas

Precisamos começar perguntando mais uma vez: Qual a nossa missão como igreja? A resposta está em reconhecer que somos o corpo de Cristo. Portanto, devíamos estar fazendo o que Ele fez na terra. A evangelização do mundo, portanto, tem de ser a missão, o objetivo norteador da Igreja, pois era a meta central de nosso Senhor — a única razão pela qual o Filho eterno, despojando-se de suas vestes de glória, assumiu nossa forma. Ele veio para ‘buscar e salvar o que se havia perdido’ (Lc 19.10) — ‘não veio para ser servido, mas para servir; e para dar a sua vida em resgate de muitos’ (Mt 20.28).

Uma senhora, num grupo de turistas que visitava o Mosteiro de Westminster, pinçou exatamente o problema. Voltando-se para o guia, perguntou-lhe: ‘Moço, moço! Pare um pouco essa conversa, e me responda: será que alguém foi salvo aqui por esses dias?’.

Um estranho silêncio recaiu sobre o grupo de turistas assustados e, quem sabe, já embaraçados. Salvo no Mosteiro de Westminster? Por que não? Não é essa a função da igreja? Uma igreja que esteja descobrindo o entusiasmo do avivamento saberá disso, e estará em atividade, procurando ganhar os perdidos. O avivamento e a evangelização, embora diferentes quanto à natureza, brotam da mesma fonte e fluem juntos. Uma igreja que não sai para o mundo anunciando as verdades do reino não reconheceria o avivamento, mesmo que este viesse”.(COLEMAN, R. Como avivar a sua igreja. 15.ed., RJ: CPAD, 2005, p. 87-88.)

A Igreja não foi edificada por Cristo para construir escolas, fundar hospitais ou assumir cargos políticos, por mais dignas que sejam tais realizações, mas para cumprir com o mandato de “ir por todo o mundo e pregar o evangelho a toda criatura” (Mc 16.15). Quando os crentes prescindem da evangelização, não resta mais nada a igreja do que ser uma associação religiosa em busca de privilégios e reconhecimento social. Somente um poderoso reavivamento na vida dos crentes será capaz de transformar uma igreja apática quanto à evangelização em uma comunidade rediviva. Cada crente deve envolver-se com a evangelização dos pecadores. Cada cristão deve ser uma fiel testemunha de Cristo.


                    Evangelismo ou Missões urbanas


Logo após ser batizado com Espirito Santo,com 45 dias de conversão,Deus me chamou para o trabalho de evangelismo.Com apenas 16 anos de idade o Senhor Jesus me chamou para trabalho de evangelização e pregar,o evangelho,e sempre preguei no texto de JO 14.6 no inicio da minha conversão,e distribuindo folhetos que tenho e e faço até hoje.O folheto que muito distribui tinha o assunto impresso"Jesus o caminho".Muitas vezes distribuía folhetos nos lugares onde passavam muita gente em Mauá-SP,cidade a qual Deus me concedeu a oportunidade de pregar nas diversos ministérios pentecostais e distribuir folhetos em grande quantidade de milhares,calculo que mais de 30 mil folhetos no decorrer de mais de 10 anos de evangelismo nas praças.E nas milhares de casas em diversos bairros e nas ruas dos bairros,e  convidando as pessoas e dizendo a elas sobre(JO14.6),abrindo a biblía e explicando a pessoas.

Distribui folhetos em pontos estratégicos onde passavam centenas de pessoas,principalmente aos sábados,dia que evangelizei na passarela por período de varíos anos.Depois como tempo ,fui para diversos bairros,escalando a cada domingo á tarde as ruas dos bairros de Mauá-SP tudo organizado com a direção de Deus.Até que todas as casas do bairro fossem alcançados,depois ai para os outros bairros,de casa em casa,em,eu colocava na caixa do correio os folhetos nas casa.Se tinha alguém no portão da residenciada casa,então os convidava  para ir na igreja e abria a biblía no evangelho de João 14.6.E as vezes lia ,e outras vezes a pessoa ouvia a pregação sobre o texto do evangelho,e outras não queriam me ouvir,mas começavam a ler o folheto sozinhos,e assim a mensagem do folheto tocava nas pessoas,e muitos das pessoas dos vários bairros diziam que iriam em alguma igreja que precisavam ouvir o evangelho. 
  
Não esqueço de algo,certa vez perguntei a uma pessoa,onde que eu poderia evangelizar,então,a pessoa da igreja me falou,que posso evangelizar?então a pessoa da igreja me falou que posso iniciar o evangelismo na passarela,ao lado da estação de trem,na praça,este lugar foi onde iniciei o evangelismo,em Mauá-SP.No inicio foi um pouco tímido,ali passava centenas de pessoas em questão de 2 ou 3 horas de evangelismo,então sempre levava de 200 folhetos no minimo,e comprava quantias cada vez maiores,distribuindo uma média de tarde no sábado, 400 folhetos por semana.Me lembro que teve um dia que distribui 800 folhetos em 3 horas de evangelismo.Havia sempre alguém que amaçava o folheto e jogava na minha frente,mas não me fazia desistir,mesmo assim prosseguia.

No período da manhã,no sábado,ou no domingo,era a consagração de manhã até 12:00,e depois ,ia para o trabalho de evangelismo,quando iniciei o evangelismo aos domingos também,de sábado para o domingo frequentava uma vigília aos finais de semana,na capital de São Paulo,no Parque Dom Pedro,perto da Praça da Sé,e próximo do Brás,vigilais a qual eu ia de trem,mas de tarde no domingo,mesmo assim após ter passado vigília na madruga,tive tempo para ir aos bairros escaladas no mês  etc,e ruas evangelizando.

Fui batizado com Espirito Santo em fevereiro,a assim o evangelismo começou após ser batizado com Espirito Santo.Estudei livros sobre evangelismo que muito me ajudaram também a alcançar pessoas,pude ler vários artigos á respeito do assunto,serviu para mim de grande ajuda,pois nos livros sobre evangelismo contíam ensinos biblícos,com citações biblícas,embora não tive instrução no inicio sobre evangelismo,mas os vários artigos dos livros me ajudou no ensino biblíco e pratica do evangelismo de modo certo.

Depois de meses evangelizando na passarela,Deus me direcionou a ir começar o evangelismo nos bairros inteiros.escalava um bairro por mês ou mais tempo,evangelizam do o bairro rua por rua,casa por casa até que todas as casa fossem alcançadas,isso aos domingos,de tarde,de casa em casa,convidando as pessoas,e deixando os folhetos e convites na caixa do correio das casas e falando pessoalmente do evangelho com bíblia aberta.Havia bairros que as vezes era preciso de 4 á 5 domingos para evangelizar inteiro com os folhetos e falar ás pessoas.Em média por domingo,já passei de 200 a 300 casas com folhetos e pregando e evangelizando todos á ir na igreja ouvir a Palavra.

Me lembro que nos dias de calor.sempre havia alguém que me dava um copo de água para beber,pois havia bairros que já cheguei andar uma hora para chegar e depois iniciar o evangelismo,iniciava muitas vezes depois de andar 30 a 40 minutos para chagar nos bairros.Na maioria das vezes,andando,pois a situação era difícil  naqueles dias,e não me permitia utilizar os ônibus circular e Mauá,que circulam nos bairros.Mesmo com minha dificuldades,Deus sempre me abençoou minha saúde,mesmo nos dias da falta de dinheiro para ir de ônibus  circular para voltar de ônibus ou no sábado ou no domingo.

Era interessante que ,era difícil no caminho de ida ou de volta do evangelismo enfrentar chuva ou tempestades de chuva Sempre conseguia chegar em casa antes de chover,e outras vezes chovia logo após eu chegar em casa.Outras vezes eu chegava em casa e depois de uns minutos começava á chover.Deus sempre me livrou das chuvas nos evangelismo nos bairros,que andei certas distancias.E assim,conheci a maior parte dos bairros de Mauá evangelizando e pregando nas igrejas,uma parte ou todo bairro,pois passei andando de rua em rua evangelizando  boa parte de casa em casa de rua em rua tudo para glória do Senhor Jesus(AP 1.8).

Houve dias difíceis que não havia condições financeiras de comprar folhetos.Eram dias que eu fiquei muito triste quando chegava sábado ou domingo,quando  neste ocasião não tinha folhetos por um mês,mas depois de um mês certa vez sem poder evangelizar,depois nunca mais me faltou folhetos até  o dia de hoje,nunca mais me faltou folhetos.Posso dizer sem exagerar que passei em milhares de casas somando as casas de vários bairros nos que alcancei com o evangelismo ou que evangelizei em Mauá-SP,bairro por bairro,casa por casa na maior parte dos bairros ou pelo menos vamos dizer 50 por cento dos bairros,pois somam mais de 10 anos de evangelização  na distribuição de mais de 30 mil folhetos.

É com alegria que não posso deixar de relatar aqui sobre o evangelismo,no ano de 1997 e 1998,etc.Jé estive pregando ao ar livre,foi difícil encarar as pessoas na praça  pública em Mauá,só havia pessoas na praça que não eram crentes,e havia muitas pessoas ali na praça no horário de pregar,mas Deus abençoou e pregamos o evangelho,principalmente no evangelho de joão,e as vezes,pregando sozinho,sem haver companhia de algum da igreja.Depois começamos á pregar na estação de trem,e também junto a distribuição de folhetos também.Antes de embarcarem no trem.

Também tive oportunidade de evangelizar no terminal de ônibus central,ao lado da praça  e da estação.Enquanto as pessoas esperavam o ônibus que demorava e em fila estavam e amontoados as pessoas ao redor esperando o ônibus,então eram momento de pregar nas plataformas cheio,e centenas de pessoas ouviam o evangelho nas varias plataformas que revezamos,e assim centenas de pessoas ouviam o evangelho de Jo14.6.


                           Evangelismo nas igrejas de Mauá


Me  lembro da data do primeiro dia em que fui separado á obreiro oficialmente,foi no dia 21 de março,eu estava com 18 anos de idade.Jé havia sido batizado nas aguas,.No dia 15 de junho,do mesmo ano,ou seja,após 3 meses de obreiro,comecei a pregar a Palavra em diversos lugares em Mauá,e região,inclusive no litoral de São Paulo,no Guarujá nas igrejas evangélicas algumas vezes.Até o dia de hoje tenho lembranças d as igrejas do Guarujá,de obreiros conhecidos.Então a ministração da Palavra nas congregações ,foi mais uma porta da Palavra que o Senhor me chamou para alcançar mais pessoas com o evangelho de Jesus.Em Mauá e outros lugares,em São Paulo,mas também em Santa Catarina,onde estou morando servindo ao Senhor.


                   Grande apoio ao evangelismo em 2008

Em 2008,logo no inicio do ano,havia mudado de bairro,a congrego então no jardim Bandeirantes na Assembleia de Deus sede(conamademp),e era melhor para mim congregar e mais perto,período que presidiu o O pastor Silvano Rodrigues e também mais recente pelo Pastor Nerivaldo Aciole irmão do Pastor Nerildo Aciole,me deu a congregar pois o jardim Zaira ficava longe para mim congregar lá.

Então na sede do Bandeirantes,a congregação ainda está no mesmo lugar,inclusive atrás do ginásio São João,e próximo a avenida Barão de Mauá.Então ali no bandeirantes fui bem recebido,inclusive na reunião de obreiros,tive apoio incentivo para o trabalho de evangelismo imediatamente.Logo no inicio me arrumaram milhares de folhetos,e foram bem utilizados,em todas as vilas ao redor do jardim bandeirantes as pessoas foram alcançadas,centenas e milhares foram evangelizadas.

Sempre podia para ser escalado para o estacionamento da igreja,pois assim á noite passava dezenas de pessoas na avenida,eu estando eu sendo escalado la para fora no estacionamento,havia então oportunidade de evangelizar as pessoas que passavam na calçada e avenida em frente a igreja.  
Em 2008 em diante é o período que mais Deus me concedeu a oportunidade para evangelizar pessoas,tendo condições de material evangelístico.Atualmente aqui no sul,continuo com o trabalho de evangelização,no interior.Continuamos como evangelismo no sul,desde 2011.Com folhetos e também tem surgido biblías doadas e já distribuídas.Deus tem provido milhares de folhetos e centenas de biblías no ano de 2011.Todas as biblía já foram distribuídas as pessoas.


                                     Grato sempre a Deus

Louvo a Deus e glória seja dada á ele por todo este tempo que o Senhor me chamou e trabalhando no evangelismo voluntariamente evangelismo.O Senhor tem providenciado,abençoado,direcionado,o trabalho na seara.Enquanto.Enquanto muitos só estão preocupados com coisas vãs,que o Senhor ma ajude nesta obra de semear a semente do evangelho,obedecendo o ide de Jesus,pregando seu evangelho sem modismo e heresias.
Tenho persêbido que muitos não dão mais importância em evangelizar com á distribuição de folhetos ou material impresso,mas sou testemunha que nestes anos trabalhando voluntariamente no evangelismo com folhetos,já vi pessoas reconciliarem e aceitarem á Jesus atravêz do trabalho de evangelizar com folhetos.
Se você tem uma chamada para evangelizar,se una a um grupo de evangelismo onde você congregava,saiba que Deus tem uma chamada para ti.O Senhor tem um trabalho para você no evangelismo também.O Senhor vai fazer algo por seu intermédio,não permita á timidez bloquear a obra,que ele tem te chamado.

Já passei por desanimo com dificuldades para continuar evangelizando.Certa vez eu estava quase parando no ano de 2010,mês de novembro,mas uma irmã  da Assembleia de Deus em Mauá por nome Francisca me falou algo"Deus não quer que você pare de evangelizar com os folhetos".Muito precisei daquela palavra,naquele momento por causa que eu estava desanimado e enfrentando muita luta espiritual,mas as vigílias que tinham no Zaira,eu não havia desistido.Achava que não estava tendo resultado o evangelismo nos bairros ao redor do Jardim Bandeirantes e Jardim Feital etc,em distribuir folhetos,mas entendi que devo lançar a semente da Palavra,Deus fará o crescimento,ou seja o que entendi na Palavra.

Existem tempos difíceis para plantar ou semear,lançar a semente,tem o tempo de colher o crescimento,e o tempo do crescimento surgem resultados,e trabalhar de Deus na seara.Nosso trabalho é lançar as sementes,os resultados podem até demorar para nós,mas resultados certamente surgirão.Resultados virão após meses ou ate mais tempo ou imediatamente ou mais tempo ainda,mas que surgirão no tempo do Senhor.Isso é que importa sabermos e entendermos isso,é uma realidade inêgavel.
Nosso trabalho não é vão no Senhor.No tempo que se passou até hoje,sou grato pela oportunidade até hoje em prosseguir no trabalho voluntario do evangelismo,alcançando pessoas em nome de Jesus.  


                     Evangelismo por emissoras de radio
                    Evangelismo ou missões urbana 


Foi difícil no inicio quando comecei com o evangelismo pelo radio de 2 horas de tempo aos sábados 22:00 a 23:50.Me lembro da data pré inicio ,foi no sábado em 15/8/,mais de 10 anos .No sábado dia 21/8 foi até uma noite de culto de ceia na igreja e após a ceia ,me dirigi á radio comunitária,então as 23;00 fui para uma vigília com um grupo de irmãos.Então o primeiro dia no radio fui auxiliado por alguns irmãos que me ajudaram,partir dai ,foi o começo  em aprender a ter pratica.Também cooperei voluntariamente na mesa de som por vários dias e meses,aprendendo.Também cooperei voluntariamente na radio comunitária cristã.Depois de um tempo,o horário  foi mudado de horário.

Hoje sou grato á Deus também pela oportunidade que Deus me havia concedido por 4 anos pelo radio.Todos os obreiros devem investirem no trabalho de evangelização pelo radio etc.Sou testemunha e com experiência que é possível evangelizar pelo radio.Que os que tem vocação aptidão,e principalmente chamada á evangelização,que os lideres investem em radio,sempre haverá alguém que se dispõe a ir te ajudar a evangelizar pelo radio.Não basta só falar do departamento de missões,se tu esquece de ter departamento estruturado,organizado,dinâmico.Não basta falar de missões,e o evangelismo que está esquecido em sua igreja local ou cidade?muitas igrejas as vezes não cresce porque não se fala de evangelização e nem existe equipes de irmãos que se unem para  orar em jejum para Jesus salvar almas nos bairros ou em sua sade,ou no município onde você congrega.

Existem hoje vários lugares uma negligência no evangelismo,pois vários,por incrível que pareça na igreja local e até em certas sedes,não existe departamento de evangelismo e nunca se vê folhetos para evangelismo etc.Pois existem lugares que não existe incentivo ao evangelismo,e raramente se fala de evangelismo,então o resultado é de pouquissímo crescimento da igreja local ou da sede de salvação de almas.Muitos estão conformados com está situação,poucos salvos e não se fala de evangelismo,em formar departamentos para evangelizar nos bairros ou nas grandes cidades ou sedes.

O resultado no crescimento quase não existe,o evangelismo foi esquecido e outras coisas são lembradas e enfatizadas na igreja local ou em sedes,mas organizar o evangelismo todos mês ou cada 15 dias,está esquecido totalmente,sendo que uma das coisas mais importantes que evangelizar,está fadado ao fracasso e vários lugares,ou totalmente  fracassado,pois não existe trabalhos com grupos em sair pelas ruas e bairros para evangelizar.A responsabilidade é nossa.Existem investimentos em coisas secundarias,superfúlas as vezes,mas o evangelismo não existe ajuda financeira para comprar material impresso,folhetos,biblías,livros de evangelismo,CDs com hinos,não investem em radio.

Na verdade a realidade é essa existe em vários lugares e denominações um desprezo no que tange ao evangelismo.Existe que compram material para evangelizar porque onde congregam não encontram nenhum material para evangelizar,na secretaria das igrejas onde eles congregam,existe hoje um desprezo em evangelizar e outros nem sabem como iniciar o evangelismo,desejando evangelizar,mas a negligência é muito grande.O evangelismo tem que ter condições básicas,requer investimento financeiros,todo mês,mas dificilmente se escuta alguém no púlpito em muitos lugares alguém dizer que "precisamos investir no evangelismo e estruturar o departamento.

Investimento no evangelismo está acabando em vários lugares a cada dia isso vem aumentando nas igrejas diversas,e automaticamente o incentivo dos congregados diminui e o evangelismo vai parando por falta de pequenos recursos básicos e o apoio financeiro,pois existe gasto.Com missões normalmente muito bem,mas evangelizar requer pequenos gastos,muito inferior ou bem pouco quase nada no que na realidade precisa urgente ser feito antes que o evangelismo venha parar totalmente e a consequência  é que sua igreja local ou sede venham parar o crescimento,então chega de conformismo .


Jesus tem propósito com sua vida,com sua igreja,mas você  precisa lembrar que precisa  ter um departamento de evangelismo,também manter,investir na estrutura,analizar as necessidades,pois existem gastos na compra de material para distribuir folhetos,biblías,revistas de discipulados etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.