domingo, 27 de setembro de 2015

SUSIDIOS PARA OS PROFESSORES GENESIS LIÇÃO N.1





AUXILIOS PARA AS AULAS DOS PROFESSORES LIÇÃO N.1 CPAD


11.3 OS MUNDOS, PELA PALAVRA DE DEUS, FORAM CRIADOS. A fé pela qual entendemos que Deus criou o mundo é a fé na revelação divinamente inspirada que se acha em Gn 1 e noutros trechos das Escrituras (cf. Sl 33.6,9; Is 55.11)

Terça: - Sl 36.6 (A tua justiça é como as grandes montanhas; os teus juízos são um grande abismo; SENHOR, tu conservas os homens e os animais.);



Sl 65.9-13 (Tu visitas a terra e a refrescas; tu a enriqueces grandemente com o rio de Deus, que está cheio de água; tu lhe dás o trigo, quando assim a tens preparada; tu enches de água os seus sulcos, regulando a sua altura; tu a amoleces com a muita chuva; tu abençoas as suas novidades; tu coroas o ano da tua bondade, e as tuas veredas destilam gordura; destilam sobre os pastos do deserto, e os outeiros cingem-se de alegria.Os campos cobrem-se de rebanhos, e os vales vestem-se de trigo; por isso, eles se regozijam e cantam):
Quarta: - Ne 9.6(Tu só és SENHOR, tu fizeste o céu, o céu dos céus e todo o seu exército, a terra e tudo quanto nela há, os mares e tudo quanto neles há; e tu os guardas em vida a todos, e o exército dos céus te adora.):
Quinta: - Jo 1.3(Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez);

Cl 1.16,17(porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele):
 NELE FORAM CRIADAS TODAS AS COISAS. Paulo afirma a atividade criadora de Cristo.
(1) Todas as coisas, tanto as materiais quanto as espirituais, devem sua existência à obra de Cristo como comparecerem agente ativo na criação (Jo 1.3; Hb 1.2). (2) Todas as coisas
subsistem e são sustentadas por Ele (v. 17; Hb 1.3)
Sexta: - Ef 3.9(e demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que, desde os séculos, esteve oculto em Deus, que tudo criou;): -
Sábado: - Hb 1.3(O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da Majestade, nas alturas;):

Comentários:

Introdução:
    O tema "ECOLOGIA" tem sido negligenciado nos púlpitos da Igreja, talvez devido à falta de maiores subsídios bíblicos neotestamentários que trouxessem maior luz ao assunto, mas se buscarmos nos aprofundarmos no tema, com certeza encontraremos motivos para cuidarmos melhor do planeta em que vivemos como mordomos cristãos, ou seja, a serviço do Senhor, pois ELE mesmo anda em nosso meio.

Dt 23.12 Também terás um lugar fora do arraial, para onde sairás. 13 Entre os teus utensílios terás uma pá; e quando te assentares lá fora, então com ela cavarás e, virando-te, cobrirás o teu excremento; 14 porquanto o Senhor teu Deus anda no meio do teu arraial, para te livrar, e para te entregar a ti os teus inimigos; pelo que o teu arraial será santo, para que ele não veja coisa impura em ti, e de ti se aparte.

Tópico I - A Preservação Do Meio-Ambiente:

   ECOLOGIA

 O termo "ECOLOGIA" segundo o dicionário Aurélio significa "estudo das relações entre os seres vivos e o meio onde vivem, bem como de suas recíprocas influências". Em resumo, a ECOLOGIA é a preservação do meio-ambiente.
    Fomos criados para cuidarmos com carinho das coisas e seres criados por DEUS.    DEUS criou todos os animais, aves e répteis(Gn 1.30), em provérbios 12.10, DEUS nos ensina através de sua Palavra que devemos cuidar bem de nossos animais e no versículo 11 nos orienta a cuidar bem da terra para tenhamos sempre o que comer; também em Gn 1.11,29,30 aprendemos que DEUS criou a natureza para que dela nos alimentemos bem.
Gn 1.11 E disse Deus: Produza a terra relva, ervas que dêem semente, e árvores frutíferas que, segundo as suas espécies, dêem fruto que tenha em si a sua semente, sobre a terra. E assim foi.
Pv 12.10 O justo olha pela vida dos seus animais; porém as entranhas dos ímpios são cruéis. 11 O que lavra a sua terra se fartará de pão; mas o que segue os ociosos é falto de entendimento.

ECOSSISTEMA

O termo "ECOSSISTEMA" segundo o dicionário Aurélio significa "Conjunto formado pela comunidade e meio-ambiente, nas relações que os seres vivos de uma comunidade estabelecem com os fatores ambientais como por exemplo, o Solo, o Ar, a Água, etc.... DEUS criou tudo para funcionar harmoniosamente, respeitando-se uns aos outros e tendo em mente que a vida em comum, neste planeta,  depende da boa vontade de cada habitante e principalmente dos seres humanos que são responsáveis pela mordomia, ou seja controle e sustentação do bem estar geral da terra.
    O crente deve dar exemplo quanto à preservação do meio em que vive, lembrando-se de que é nos pequenos detalhes, como não jogar lixo no chão, por exemplo, que conseguiremos manter nossa saúde e bem-estar para termos melhor qualidade de vida.
Revista Veja 1783/A =
A natureza contribui para o bem-estar humano por meio de vários tipos de serviços prestados pelos ecossistemas. A preservação de ecossistemas das bacias hídricas é um poderoso aliado na manutenção da qualidade da água. A administração da cidade de Nova York percebeu que recuperar o meio ambiente e a vida natural nas áreas de suas fontes custaria apenas 10% do valor necessário para construir estações de tratamento da água nas regiões degradadas. O ex-prefeito de Quito Roque Sevilla chama as florestas de "fábricas de água". Os serviços prestados pelos ecossistemas incluem a prevenção de desastres. A China baniu a extração de madeira e iniciou um processo de reflorestamento apenas com o objetivo de conter as enchentes devastadoras. "Desastre natural" é muitas vezes o nome errado de acontecimento em parte ou de todo provocado pelo homem.
Estima-se que os serviços prestados pelos ecossistemas tenham um valor econômico global de 33 trilhões de dólares por ano – mais que o produto mundial econômico bruto. Não é à toa que levam o assunto a sério – embora ainda não o suficiente – os governos de vários países e agências internacionais como o Banco Mundial (cujo vice-presidente para a América Latina e o Caribe me mandou uma carta, em 1985, agradecendo por tê-lo iniciado no assunto).
A lei brasileira só recentemente começou a prever multas rigorosas para empresas que lançam poluentes nas águas, voluntária ou involuntariamente. Até dois anos atrás, o valor máximo de multa que a Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema) podia aplicar era de 5 000 reais, importância inexpressiva para uma indústria. A situação mudou, e muito, depois do acidente da Petrobrás, em janeiro do mesmo ano, que derramou 1,3 milhão de litros de petróleo na Baía de Guanabara, em um vazamento que durou quatro horas seguidas. As imagens de aves cobertas de óleo e manguezais afetados ajudaram a aumentar o valor da multa para 50 milhões de reais. A multa salgada não é suficiente para cobrir as necessidades futuras de investimentos na área. A solução começa pela decisão da população de não mais se banhar em coliformes fecais, enganando-se com a idéia de que se está num paraíso tropical. Os países desenvolvidos ainda têm praias poluídas. A diferença em relação ao Brasil é que já aprenderam que, quanto antes começarem a trabalhar e quanto menos o trabalho for interrompido ao longo dos anos, menor será o prejuízo social e financeiro para o país.
  
   
Tópico II - O Ecossistema Criado Por DEUS:

       O homem foi feito do pó da terra, material utilizado por DEUS para construir tanto a terra como nossa casa terrestre (2C 5.1;2Pe 1.13). caso o homem fosse morar na Lua seria feito do pó de Lua, mas como DEUS escolheu criar colocar o homem para viver na terra, fê-lo de pó da terra.
       DEUS colocou o homem em um lindo jardim com a função de o cultivar (ou lavrar) e guardar; cultivar significa cuidar para que continue sendo um lugar agradável e que mantenha a sustentação alimentar do próprio homem; guardar significa que havia um ladrão disposto a destruir o jardim e a comunhão do homem com DEUS. É impressionante o cuidado de DEUS quanto a se mexer em um ninho de passarinho por exemplo, ou quanto a se semear sementes no campo, ou quanto à organização, limpeza e higiene dentro do acampamento dos hebreus; o ensino de DEUS para o homem é para que o homem seja um mordomo fiel, organizado e cuidadoso com sua criação.
Dt 22.6 Se encontrares pelo caminho, numa árvore ou no chão, um ninho de ave com passarinhos ou ovos, e a mãe posta sobre os passarinhos, ou sobre os ovos, não temerás a mãe com os filhotes; 7 sem falta deixarás ir a mãe, porém os filhotes poderás tomar; para que te vá bem, e para que prolongues os teus dias.
Dt 22.9 Não semearás a tua vinha de duas espécies de semente, para que não fique sagrado todo o produto, tanto da semente que semeares como do fruto da vinha. 10 Não lavrarás com boi e jumento juntamente.
Dt 23.12 Também terás um lugar fora do arraial, para onde sairás. 13 Entre os teus utensílios terás uma pá; e quando te assentares lá fora, então com ela cavarás e, virando-te, cobrirás o teu excremento; 14 porquanto o Senhor teu Deus anda no meio do teu arraial, para te livrar, e para te entregar a ti os teus inimigos; pelo que o teu arraial será santo, para que ele não veja coisa impura em ti, e de ti se aparte.
      Nunca devemos visitar os extremos do devido cuidado coma natureza, não devemos destruí-la, mas também não devemos e nem podemos adotar a natureza como deusa de nossa vida ou tratá-la como se DEUS fosse parte da natureza ou a própria natureza, como fazem as seitas e organizações ambientais ligadas à Nova Era.
      O homem foi criado à imagem e semelhança de DEUS, isto é, na mesma essência e qualidade de vida de DEUS, tendo comunhão com seu criador, sendo mordomo dedicado para cuidar da terra e de si mesmo, ser total, cuidado do corpo, da alma e do espírito; porém o pecado sendo gerado nesse homem criou uma barreira entre DEUS o criador e o homem criatura, fazendo com que o homem se tornasse inimigo de si mesmo, destruindo o seu próprio habitat, o seu próprio quintal.
      DEUS vendo a situação de caos em que se encontrava sua criatura, preparou um plano de redenção, para restaurar o homem ao seu convívio e ao seu domínio e cuidado de seu planeta até que um dia fosse morar definitivamente com ELE.

Concentração populacional nas cidades
Revista Veja 1783/A = www.veja.com.br
Um dos fenômenos mais marcantes da demografia nessa virada de milênio é a concentração populacional nas cidades. A ONU calcula que cinco em cada dez habitantes do planeta vivam nelas hoje, três deles em grandes núcleos urbanos de países pobres. Dentro de trinta anos, seis em cada dez pessoas viverão em cidades. Cinco delas estarão empilhadas em megalópoles do Terceiro Mundo. Nesses lugares, já se prevê hoje, o cotidiano deverá ser uma mistura de desigualdades, favelas abarrotadas, estrutura sanitária precária, poluição atmosférica e hordas de migrantes chegando sem parar das regiões mais pobres atrás de melhores condições de vida. Encaixam-se nesse modelo cidades como Calcutá, Délhi, Bombaim, Cidade do México, Jacarta e São Paulo, cuja fama de eldorado econômico atrai mais pobreza do que a riqueza que conseguem gerar. Como toda previsão feita por organismos internacionais, o vaticínio da ONU surge como um grito de alerta e clama por ações urgentes. E também ajuda a observar de maneira mais atenta exemplos que mostram que as grandes cidades não estão condenadas ao inferno urbano. Elas podem mudar seu destino.
Existem dezessete países no mundo considerados "megadiversos" pela comunidade ambiental. São nações que reúnem em seu território imensas variedades de espécies animais e vegetais. Sozinhas, detêm 70% de toda a biodiversidade global. Normalmente, a "megadiversidade" aparece em regiões de florestas tropicais úmidas. É o caso de países como Colômbia, Peru, Indonésia e Malásia. Nenhum deles, porém, chega perto do Brasil. O país abriga aproximadamente 20% de todas as espécies animais do planeta. A variedade da flora também é impressionante. De cada cinco espécies vegetais do mundo, uma está por aqui. A explicação para tamanha abundância é simples. Os 8,5 milhões de quilômetros quadrados do território brasileiro englobam várias zonas climáticas, entre elas a equatorial do Norte, a semi-árida do Nordeste e a subtropical do Sul. A variação de climas é a principal mola para as diferenças ecológicas. O Brasil é dono de sete biomas (zonas biogeográficas distintas), entre eles a maior planície inundável (o Pantanal) e a maior floresta tropical úmida do mundo (a Amazônia).

Transgênicos

Transgênicos = O termo transgênico refere-se a animais ou plantas nos quais um novo segmento de DNA tenha sido incorporado na célula germinativa.
Os alimentos geneticamente modificados ainda assustam, mas diminuem o uso de agrotóxicos e podem ser uma nova "revolução verde"
Os perigos da biotecnologia
Ainda não foram suficientemente testados os riscos para a saúde dos alimentos modificados geneticamente.
Transgênicos são organismos criados em laboratório com técnicas de engenharia genética que permitem "cortar e colar" genes de um organismo para outro, mudando a sua forma e manipulando a sua estrutura natural, a fim de obter características específicas. Esse novo método da biotecnologia, que permite a manipulação genética, está causando muita discussão pelo mundo.
O principal argumento daqueles que defendem o uso de transgênicos,  é que o uso desse novo método aumentará a produtividade e que será mais econômico para os pequenos agricultores, alimentando os milhões de famintos pelo mundo com muito menor gasto.
http://www.apcefrs.com.br/jb/090702.htm
Produtos OGMs disponíveis para cultivo
Os principais produtos biotecnológicos disponíveis para comercialização, embora possam não estar sendo comercializados, são de 15 espécies vegetais com 75 OGMs. As espécies com maior número de OGMs são o milho (18), colza (18), tomate (7), algodão e soja ( 5 cada).
Nos EUA, já em 1999, a área plantada com transgênicos excedia 40% do milho, 50% do algodão e 45% da soja cultivada, e pelo menos 60% dos alimentos nos supermercados americanos continham organismos geneticamente modificados.
Banco de dados sobre OGMs da OECD - Organisation For Economic Cooperation And Development - permitem obter informações por organismo e por instituição detentora da inovação. http://www.biologianaweb.com/Livro2/C11/transg.html

Tópico III - A Importância Da Racionalidade Do Homem:
Devemos crer que DEUS tem maior interesse no homem, sua criação especial com capacidade de raciocínio, de adoração, de criação, do que em animais irracionais. Há muita diferença entre o homem e o animal. a salvação é oferecida ao homem pela graça de DEUS através da fé em JESUS CRISTO; não é oferecida a nenhum animal irracional pois os mesmos não adquirem fé, por ser a fé um elemento somente dado ao homem, os animais são para o homem e não o homem para os animais.
1 Co 15.38 Mas Deus lhe dá um corpo como lhe aprouve, e a cada uma das sementes um corpo próprio. 39 Nem toda carne é uma mesma carne; mas uma é a carne dos homens, outra a carne dos animais, outra a das aves e outra a dos peixes.
1 Co 9.9 Pois na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca do boi quando debulha. Porventura está Deus cuidando dos bois?
10 Ou não o diz certamente por nós? Com efeito, é por amor de nós que está escrito; porque o que lavra deve debulhar com esperança de participar do fruto.
1 Ts 5.23 E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.


BEP E DA REVISTA -  www.cpad.com.br

A CRIAÇÃO
Gn 1.1 “No princípio, criou Deus os céus e a terra.
O DEUS DA CRIAÇÃO.
(1) Deus se revela na Bíblia como um ser infinito, eterno, auto-existente e como a Causa Primária de tudo o que existe. Nunca houve um momento em que Deus não existisse. Conforme afirma Moisés: “Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu és Deus” (Sl 90.2). Noutras palavras, Deus existiu eterna e infinitamente antes de criar o universo finito. Ele é anterior a toda criação, no céu e na terra, está acima e independe dela (ver 1Tm 6.16; Cl 1.16).
(2) Deus se revela como um ser pessoal que criou Adão e Eva “à sua imagem” (1.27; ver 1.26). Porque Adão e Eva foram criados à imagem de Deus, podiam comunicar-se com Ele, e também com Ele ter comunhão de modo amoroso e pessoal.
3) Deus também se revela como um ser moral que criou tudo bom e, portanto, sem pecado. Ao terminar Deus a obra da criação, contemplou tudo o que fizera e observou que era “muito bom” (1.31). Posto que Adão e Eva foram criados à imagem e semelhança de Deus, eles também não tinham pecado (ver 1.26). O pecado entrou na existência humana quando Eva foi tentada pela serpente, ou Satanás (Gn 3; Rm 5.12; Ap 12.9).
A ATIVIDADE DA CRIAÇÃO.
(1) Deus criou todas as coisas em “os céus e a terra” (1.1; Is 40.28; 42.5; 45.18; Mc 13.19; Ef 3.9; Cl 1.16; Hb 1.2; Ap 10.6). O verbo “criar” (hb.“bara”) é usado exclusivamente em referência a uma atividade que somente Deus pode realizar. Significa que, num momento específico, Deus criou a matéria e a substância, que antes nunca existiram (ver 1.3).
(2) A Bíblia diz que no princípio da criação a terra estava informe, vazia e coberta de trevas (1.2). Naquele tempo o universo não tinha a forma ordenada que tem agora. O mundo estava vazio, sem nenhum ser vivente e destituído do mínimo vestígio de luz. Passada essa etapa inicial, Deus criou a luz para dissipar as trevas (1.3-5), deu forma ao universo (1.6-13) e encheu a terra de seres viventes (1.20-28).
(3) O método que Deus usou na criação foi o poder da sua palavra. Repetidas vezes está declarado: “E disse Deus...” (1.3, 6, 9, 11, 14, 20, 24, 26). Noutras palavras, Deus falou e os céus e a terra passaram a existir. Antes da palavra criadora de Deus, eles não existiam (Sl 33.6,9; 148.5; Is 48.13; Rm 4.17; Hb 11.3).
(4) Toda a Trindade, e não apenas o Pai, desempenhou sua parte na criação. (a) O próprio Filho é a Palavra (“Verbo”) poderosa, através de quem Deus criou todas as coisas. No prólogo do Evangelho segundo João, Cristo é revelado como a eterna Palavra de Deus (Jo 1.1). “Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez” (Jo 1.3). Semelhantemente, o apóstolo Paulo afirma que por Cristo “foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis... tudo foi criado por Ele e para Ele” (Cl 1.16). Finalmente, o autor do Livro de Hebreus afirma enfaticamente que Deus fez o universo por meio do seu Filho (Hb 1.2). (b) Semelhantemente, o Espírito Santo desempenhou um papel ativo na obra da criação. Ele é descrito como “pairando”
(“se movia”) sobre a criação, preservando-a e preparando-a para as atividades criadoras adicionais de Deus. A palavra hebraica traduzida por “Espírito” (ruah) também pode ser traduzida por “vento” e “fôlego”. Por isso, o salmista testifica do papel do Espírito, ao declarar: “Pela palavra do Senhor foram feitos os céus; e todo o exército deles, pelo espírito (ruah) da sua boca” (Sl 33.6). Além disso, o
Espírito Santo continua a manter e sustentar a criação (Jó 33.4; Sl 104.30).

O PROPÓSITO E O ALVO DA CRIAÇÃO.

 Deus tinha razões específicas para criar o mundo. (1) Deus criou os céus e a terra como manifestação da sua glória, majestade e poder. Davi diz: “Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos” (Sl 19.1; cf. 8.1). Ao olharmos a totalidade do cosmos criado — desde a imensa expansão do universo, à beleza e à ordem da natureza — ficamos tomados de temor reverente ante a majestade do Senhor Deus, nosso Criador.
(2) Deus criou os céus e a terra para receber a glória e a honra que lhe são devidas. Todos os elementos da natureza — e.g., o sol e a lua, as árvores da floresta, a chuva e a neve, os rios e os córregos, as colinas e as montanhas, os animais e as aves — rendem louvores ao Deus que os criou (Sl 98.7,8; 148.1-10; Is 55.12). Quanto mais Deus deseja e espera receber glória e louvor dos seres humanos! (3) Deus criou a terra para prover um lugar onde o seu propósito e alvos para a humanidade fossem cumpridos. (a) Deus criou Adão e Eva à sua própria imagem, para comunhão amorável e pessoal com o ser humano por toda a eternidade. Deus projetou o ser humano como um ser trino e uno (corpo, alma e espírito), que possui mente, emoção e vontade, para que possa comunicar-se espontaneamente com Ele como Senhor, adorá-lo e servi-lo com fé, lealdade e gratidão. (b) Deus desejou de tal maneira esse relacionamento com a raça humana que, quando Satanás conseguiu tentar Adão e Eva a ponto de se rebelarem contra Deus e desobedecer ao seu mandamento, Ele prometeu enviar um Salvador para redimir a humanidade das conseqüências do pecado (ver 3.15 nota). Daí Deus teria um povo para sua própria possessão, cujo prazer estaria nEle, que o glorificaria, e que viveria em retidão e santidade diante dEle (Is 60.21; 61.1-3; Ef 1.11,12; 1Pe 2.9). (c) A culminação do propósito de Deus na criação está no livro do Apocalipse, onde João descreve o fim da história com estas palavras:
“...com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles e será o seu Deus” (Ap 21.3).


CRIAÇÃO E EVOLUÇÃO.

A evolução é o ponto de vista predominante, proposto pela comunidade científica e educacional do mundo atual, em se tratando da origem da vida e do universo. Quem crê, de fato, na Bíblia deve atentar para estas quatro observações a respeito da evolução. (1) A evolução é uma tentativa naturalista para explicar a origem e o desenvolvimento do universo. Tal intento começa com a pressuposição de que não existe nenhum Criador pessoal e divino que criou e formou o mundo; pelo contrário, tudo veio a existir mediante uma série de acontecimentos que decorreram por acaso, ao longo de bilhões de anos. Os postulantes da evolução alegam possuir dados científicos que apóiam a sua hipótese. (2) O ensino evolucionista não é realmente científico. Segundo o método científico, toda conclusão deve basear-se em evidências incontestáveis, oriundas de experiências que podem ser reproduzidas em qualquer laboratório. No entanto, nenhuma experiência foi idealizada, nem poderá sê-lo, para testar e comprovar teorias em torno da origem da matéria a partir de um hipotético “grande estrondo”, ou do desenvolvimento gradual dos seres vivos, a partir das formas mais simples às mais complexas. Por conseguinte, a evolução é
uma hipótese sem “evidência” científica, e somente quem crê em teorias humanas é que pode aceitá-la. A fé do povo de Deus, pelo
contrário, firma-se no Senhor e na sua revelação inspirada, a qual declara que Ele é quem criou do nada todas as coisas (Hb
11.3). (3) É inegável que alterações e melhoramentos ocorrem em várias espécies de seres viventes. Por exemplo: algumas

variedades dentro de várias espécies estão se extinguindo; por outro lado, ocasionalmente vemos novas raças surgindo dentre algumas das espécies. Não há, porém, nenhuma evidência, nem sequer no registro geológico, a apoiar a teoria de que um tipo de ser vivente já evoluiu doutro tipo. Pelo contrário, as evidências existentes apóiam a declaração da Bíblia, que Deus criou cada criatura vivente “conforme a sua espécie” (1.21,24,25). (4) Os crentes na Bíblia devem, também, rejeitar a teoria da chamada evolução teísta. Essa teoria aceita a maioria das conclusões da evolução naturalista; apenas acrescenta que Deus deu início ao processo evolutivo. Essa teoria nega a revelação bíblica que atribui a Deus um papel ativo em todos os aspectos da criação. Por exemplo, todos os verbos principais em Genesis 1 têm Deus como seu sujeito, a não ser em 1.12 (que cumpre o mandamento de Deus no v. 11) e a frase repetida “E foi a tarde e a manhã”. Deus não é um supervisor indiferente, de um processo evolutivo; pelo contrário, é o Criador ativo de todas as coisas (Cl 1.16).]

Nenhum comentário:

Postar um comentário