sexta-feira, 29 de maio de 2015

Lições Bíblicas CPAD 4º Trimestre de 2009 Davi na corte real - Vivendo com sabedoria


              
           Lições Bíblicas CPAD  4º Trimestre de 2009

Título: Davi - As vitórias e as derrotas de um homem de Deus
Comentarista: José Gonçalves


Lição 3: Davi na corte real - Vivendo com sabedoria
Data: 18 de Outubro de 2009

TEXTO ÁUREO

"E saía Davi aonde quer que Saul o enviava e conduzia-se com prudência; e Saul o pôs sobre a gente de guerra, e era aceito aos olhos de todo o povo e até aos olhos dos servos de Saul" (1 Sm 18.5).

VERDADE PRÁTICA

Deus deu a Davi unção, bem como prestígio diante de Israel, e ele se conduziu com prudência na presença de seus líderes e auxiliares.

LEITURA DIÁRIA

Segunda - Pv 14.15
Davi, um homem prudente


Terça - Pv 18.15
Davi, um homem sábio


Quarta - Os 14.9
Davi, um homem de discernimento


Quinta - Jó 28.28
Davi, um homem temente a Deus


Sexta - Pv 3.13
Davi, um homem bem-aventurado


Sábado - Pv 10.19
Davi, um homem de lábios moderados

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

1 Samuel 16.18; 18.2-5,13,14.

1 Samuel 16
18 - Então, respondeu um dos jovens e disse: Eis que tenho visto um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é valente, e animoso, e homem de guerra, e sisudo em palavras, e de gentil presença; o SENHOR é com ele.

1 Samuel 18
2 - E Saul, naquele dia, o tomou e não lhe permitiu que tornasse para casa de seu pai.
3 - E Jônatas e Davi fizeram aliança; porque Jônatas o amava como à sua própria alma.
4 - E Jônatas se despojou da capa que trazia sobre si e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto.
5 - E saía Davi aonde quer que Saul o enviava e conduzia-se com prudência; e Saul o pôs sobre a gente de guerra, e era aceito aos olhos de todo o povo e até aos olhos dos servos de Saul.
13 - Pelo que Saul o desviou de si e o pôs por chefe de mil; e saía e entrava diante do povo.
14 - E Davi se conduzia com prudência em todos os seus caminhos, e o SENHOR era com ele.

INTERAÇÃO

Inicie a aula pedindo aos alunos para citarem algumas qualidades do caráter de Davi. À medida que forem mencionando, relacione-as no quadro-de-giz. Depois de ouvi-los com atenção, explique que as características do caráter de Davi revelam que ele era um homem consciente de suas limitações, vigilante e que amava a Deus acima de todas as coisas.
Ressalte o fato de que Davi era prudente em sua conduta e sabia se conduzir no meio de príncipes, do exército e do povo em geral. Embora tenha passado sua infância e juventude no campo cuidando de ovelhas, Davi soube como ninguém construir uma forte rede de relacionamentos. Portanto, enfatize a importância de se estabelecer bons relacionamentos.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
·        Descrever as principais qualidades e virtudes de Davi.
·        Identificar a razão do carisma de Davi diante de Jônatas, do povo e dos servos de Saul.
·        Reconhecer a habilidade de Davi para administrar conflitos.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, para esta aula, sugerimos que o quadro abaixo seja reproduzido de alguma forma (cartolina, slide para o PowerPoint, etc.). Explique aos seus alunos que Davi, ao longo de sua vida, desempenhou várias atividades no campo, no exército, em família e no palácio. Como homem, e na posição de líder ungido pelo Senhor, cometeu erros e acertos, no entanto, as características de seu caráter revelam que ele era prudente, moderado, precavido e cauteloso em suas atitudes. Explique aos alunos que a prudência é uma virtude que toda pessoa deve desenvolver.



COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave
Prudência: Qualidade de quem age com moderação, comedimento, buscando evitar tudo o que acredita ser fonte de erro.

Mesmo antes de derrotar Golias, Davi já era um jovem talentoso e temente a Deus (1 Sm 16.18). Todavia, após sua vitória esmagadora sobre Golias e, consequentemente, sobre o exército filisteu, Davi tornou-se o centro das atenções, tanto da tropa israelita como do povo em geral. Essa notoriedade trouxe novos desafios para o filho de Jessé, porém, o mais importante foi o seu proceder com sabedoria e discernimento na administração dos conflitos advindos dessa nova situação. A admiração e o respeito do povo motivaram a inveja do rei, que passa a considerar o novo herói nacional seu rival e inimigo. O mesmo ocorre hoje na obra de Deus, gerando situações difíceis, acusações injustas, ameaças, obstáculos e prejuízos à Igreja.

I. AS QUALIDADES E VIRTUDES DE DAVI

1. Um homem talentoso. Como já vimos, Davi, mesmo antes de vencer o gigante Golias, já era possuidor de virtudes, habilidades e qualidades que lhe permitiriam conduzir-se prudentemente na corte real. Quando os servos de Saul solicitaram um músico para tocar para o rei em suas crises espirituais, um deles demonstrou conhecer a pessoa ideal: “Eis que tenho visto um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é valente, e animoso, e homem de guerra, e sisudo em palavras, e de gentil presença; o SENHOR é com ele” (1 Sm 16.18b).
É oportuno lembrar que nesse tempo o Espírito do Senhor já havia se retirado de Saul, e um espírito maligno o oprimia (1 Sm 16.14,15,23). Seus passos seguintes foram tenebrosos, pois consultou uma feiticeira (1 Sm 28.7) e cometeu suicídio (1 Sm 31.4,5).
2. Um homem com muitas habilidades. Algumas virtudes, habilidades e qualidades de Davi são imprescindíveis à igreja nos dias atuais:
a) Músico. Davi sabia tocar magistralmente. Era exímio músico e poeta, e isso muito contribuía para ser ele um homem espiritual, metódico, organizado e sensível às questões divinas. Basta lermos seus muitos Salmos para constatarmos essa realidade. É altamente importante para a Igreja de Deus e para a vida cristã de cada um a verdadeira música evangélica, a “música de Deus” (1 Cr 16.41,42); música inspirada pelo Senhor e bem executada (Sl 33.3); música espiritual que ensina e edifica (Cl 3.16).
b) Forte. Os livros de 1 e 2 Samuel; 1 Crônicas e Salmos registram os feitos corajosos, resolutos, decisivos e vitoriosos de Davi. Neles vemos um homem de fé, oração, justo, temente a Deus e perseverante, como no caso registrado em 1 Crônicas 14.8-17.
c) Valente. Davi, por confiar inteiramente no Senhor, era um homem destemido em seu desempenho como rei de Israel. Ele demonstrou coragem, habilidade e eficiência antes de ocupar o trono e depois, quando nele assentou-se.
d) Homem de guerra. Infelizmente as guerras com os seus incontáveis sofrimentos e consequências vêm dos primórdios da humanidade, a partir do momento em que o pecado nela entrou (Gn 3; Pv 6.14; Tg 4.1,2). Vemos Caim matando seu irmão Abel (Gn 4.8) e, a partir daí, a Bíblia registra muitas guerras, basta ler Gênesis 14.1-17, bem como grande parte do Antigo Testamento.
e) Sisudo em palavras. O renomado comentarista bíblico John Gill declarou que Davi era um homem “prudente em seus assuntos; nas suas falas e conversas; na conduta e comportamento; e que sabia se conduzir, até mesmo na corte real”.
f) Boa aparência. A boa, cuidada e equilibrada aparência e compostura de uma pessoa influencia a visão das demais a respeito dela. Aliás, a aparência é algo tão marcante que, se não fosse Deus, Samuel ungiria a pessoa errada (1 Sm 16.6,7). Quando Saul ascendeu ao trono, sua aparência, inclusive seus traços físicos, foram logo percebidos e mencionados pelo povo (1 Sm 9.2; 10.23). Convém dizer que o que agradou ao Senhor ao escolher Davi foi o seu interior (1 Sm 16.7), e não a sua imagem externa. Vemos aqui um princípio a que a igreja deve estar atenta ao avaliar alguém como homem de Deus, ou não, somente pelo que vê ou ouve.
g) O Senhor era com ele. Davi era piedoso, um homem temente a Deus. A piedade aparece na vida do filho de Jessé como uma virtude que deve ser imitada (1 Tm 4.8; 6.11). O Eterno era tudo para Davi (Sl 18.2), e isso fez toda a diferença em sua vida. Sua inteira e voluntária submissão ao Senhor fez dele o maior monarca da história bíblica.

SINOPSE DO TÓPICO (I)

Davi possuía muitas virtudes e qualidades, tais como: exímio músico, corajoso, valente, prudente, de boa aparência, destemido, piedoso e temente a Deus.

II. O TALENTO DE DAVI NA CORTE

1. Davi como escudeiro do rei. Antes de chegar a ser o escudeiro do rei Saul, o jovem Davi era um simples camponês, trabalhando como pastor das ovelhas de seu pai (1 Sm 17.15), e tinha a habilidade de tocar instrumentos de cordas (1 Sm 16.18). Na corte, Davi era praticamente um desconhecido (1 Sm 17.55,56).
O homem segundo o coração de Deus obteve êxito desde o princípio e em todo lugar, porque foi alguém que sempre cultivou em seu espírito a humildade de aprender e de começar de baixo. Quem quer chegar aonde Davi chegou, deve saber se portar, agir com humildade e estar sempre pronto a aprender.
2. Como comandante das tropas. Até o seu desafio a Golias, Davi era um aprendiz na casa real (1 Sm 16.21). Todavia, essa situação mudou drasticamente graças à sua estupenda vitória sobre Golias, o filisteu de Gate. De um simples músico e escudeiro-aprendiz, Davi foi promovido a comandante de tropas (1 Sm 18.5).
Davi, por ser fiel e amar ao Senhor e à sua Palavra, soube se conduzir como iniciante e também portar-se numa posição elevada e de autoridade. Em ambos os casos, Davi estava instruído a como se conduzir: quando era dirigido como subordinado e quando dirigia como chefe. Não é difícil executar tarefas mais difíceis, extensas e complexas quando se aprende bem a fazer as mais simples, buscando ao Senhor, o divino Mestre, que tudo conhece.

SINOPSE DO TÓPICO (II)

O homem segundo o coração de Deus obteve êxito desde o princípio e em todo lugar porque foi alguém que sempre cultivou em seu espírito a humildade de aprender e de começar de baixo.

III. O CARISMA DE DAVI NO PALÁCIO REAL

1. Nos relacionamentos. Inicialmente Davi foi muito estimado pelo próprio rei (1 Sm 16.22), mas isso foi apenas no começo, depois tudo mudou (1 Sm 18.7-16). Entretanto, na corte, ele ampliou seus relacionamentos, demonstrando empatia com as três principais classes de pessoas no reino:
a) O filho do rei. Sem dúvida, essa estima contagiante para com Davi, que logo fez com que o filho do rei se tornasse o seu melhor amigo, foi muito importante e necessária em sua vida, como se vê em 1 Samuel 23.16,17. Não devemos esquecer que Jônatas era um potencial herdeiro do trono de Saul, e com certeza Saul pensava assim (1 Sm 20.31). Todavia, Jônatas não enxergava Davi como um rival, mas como o seu melhor amigo.
b) Todo o povo. Davi era benquisto pelo povo (1 Sm 18.5). Uma característica de quem obtém ascensão social de forma meteórica é esquecer suas origens e raízes. Porém, Davi não agiu assim. Mesmo convivendo no palácio, ele não perdeu seus referenciais do campo. Ele soube construir novos relacionamentos, mas também manter aqueles já existentes.
c) Servos de Saul. Ainda dentro da corte de Saul, Davi construiu relacionamentos com os funcionários do rei (1 Sm 18.5), e manteve boas amizades até mesmo com os servos de Saul.
2. Para administrar conflitos. Davi se portou com sabedoria na corte quando demonstrou habilidade para administrar conflitos: “E as mulheres, tangendo, respondiam umas às outras e diziam: Saul feriu os seus milhares, porém Davi, os seus dez milhares“ (1 Sm 18.7). A Escritura registra ainda que “daquele dia em diante, Saul não via a Davi com bons olhos” (1 Sm 18.9 - ARA). Isto é, o primeiro rei de Israel passou a ter inveja de Davi. O espírito maligno que nele atuava tornou isso pior do que se imagina.
A Bíblia mostra que Davi fez o possível para que o seu relacionamento com Saul fosse mantido amistosamente, no entanto, a condição espiritual e emocional do rei não permitiu isso. Mesmo quando sofreu tentativas de assassinato por parte do rei, Davi não revidou, mas preferiu fugir (1 Sm 18.11; 19.1). Quando teve oportunidade para matar o rei, mais uma vez ele procurou reatar as relações rompidas e não “tocou” no ungido do Senhor (1 Sm 26.9-25).

SINOPSE DO TÓPICO (III)

Mediante o seu carisma e habilidade, Davi conseguiu construir bons relacionamentos e administrar conflitos.

CONCLUSÃO

A passagem do homem segundo o coração de Deus pela corte real, antes de sua ascensão ao trono de Israel, foi algo marcante em sua vida. Todos temos algo a aprender com o até então futuro monarca de Israel. O modo como ele se conduziu e construiu uma forte rede de relacionamentos talvez seja uma de suas maiores proezas. A Escritura registra que isso se deu graças à sua forma prudente de se conduzir no meio de príncipes, do exército e do povo em geral.

REFLEXÃO

“Pela oração, adoração e prática da fé, treinamos para a missão que Deus coloca diante de nós”. Michael Kendrick

VOCABULÁRIO

Estupendo: Admirável, maravilhoso, espantoso, extraordinário.
Exímio: Excelente em sua arte ou profissão.
Metódico: Quem tem, ou em que há método.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

WOOD, G. O. Um salmo em seu coração. RJ: CPAD, 2006.
PURKISER, W. T. Comentário Bíblico Beacon. Vol. 2: Josué a Ester. RJ: CPAD, 2005.
Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. RJ: CPAD, 2004.

EXERCÍCIOS

1. Cite três qualidades de Davi.
R. Prudente, valente e temente a Deus.

2. Como Davi se conduziu como escudeiro do rei?
R. Com humildade e vontade de aprender e de começar de baixo.

3. Davi, graças ao seu carisma, construiu na corte de Saul bons relacionamentos. Cite três exemplos.
R. Ele teve um bom relacionamento com o filho do rei, com todo o povo e com os servos de Saul.

4. De acordo com a lição, qual conselho você daria a quem deseja chegar aonde Davi chegou?
R. Resposta pessoal.

5. Como Davi procurou resolver as diferenças entre ele e Saul?
R. Davi procurou não revidá-las, mas fugir.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

Subsídio Histórico

“Quando pensamos em Davi, logo nos vem a mente que ele era pastor, poeta, matador de gigante, rei e antepassado de Jesus - em resumo, um dos maiores homens do Antigo Testamento. Mas existe uma outra relação junto a esta: traidor, mentiroso, adúltero e assassino. A primeira lista fornece as qualidades que todos nós gostaríamos de ter; a segunda, as que poderiam ser reais e a nosso respeito. A Bíblia não faz esforço algum para esconder os fracassos de Davi. Ele ainda é lembrado e respeitado por seu coração voltado para Deus. Quando aprendemos que compartilhamos mais dos fracassos de Davi do que de suas grandezas, deveríamos ficar curiosos para descobrir o motivo pelo qual o Senhor se refere a ele como ‘o homem segundo o meu coração’ (At 13.22). Davi, apesar de suas fraquezas, possuía uma fé inabalável na fiel e perdoadora natureza de Deus. [...] Suas confissões eram de coração, e seu arrependimento genuíno. Nunca negligenciou o perdão de Deus ou tomou sua bênção como uma concessão. Em troca, o Senhor nunca lhe negou seu perdão ou as retribuições de suas ações. Davi experimentou a alegria do perdão mesmo quando teve que sofrer as consequências de seus pecados. [...] Ele aprendeu com suas falhas porque aceitou o sofrimento que estas lhe trouxeram. [...] Quais mudanças seriam necessárias para que Deus encontrasse esse tipo de obediência em você?”.
(Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. RJ: CPAD, 2004, p.393).

APLICAÇÃO PESSOAL

“O Davi humano também teve uma falha séria que o poderia ter condenado não fosse o Mestre agindo em sua vida. O Salmo 51 fala sobre o pecado que quase o destruiu e nos ensina mediante o seu exemplo como nos arrependermos dos nossos próprios erros.
A oração de Davi se inicia com três pedidos ao Senhor: Misericórdia (v.1). Nenhum de nós merece a graça de Deus, porém Ele cuida de nós com ternura e intensidade, mesmo quando o nosso coração está distante dEle. Nosso amor pelo Senhor pode falhar, mas não o seu amor por nós. Renovação (v.2). A ‘tinta’ de nossa falha deixa uma marca indelével em nossa vida e na dos outros; porém, podemos confiar na compaixão do Senhor para apagar o nosso pecado do livro de sua memória. Purificação (v.2). Somente Deus pode lavar a mancha e a sujeira do pecado. Queremos nos sentir puros outra vez, de modo que desapareçam toda a impureza que adquirimos e o legado de suas lembranças”.

(WOOD. G. O. Um Salmo em seu Coração. RJ: CPAD, 2006, pp.209,210).

Nenhum comentário:

Postar um comentário