quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

ENSINAR VOCE É UM CHAMADO TAMBÉM

           

         ENSINAR VOCE É UM CHAMADO TAMBÉM

Segundo a PEQUENA ENCICLOPÉDIA BÍBLICA a palavra DOM significa presente, dádiva, donativo; faculdade, privilegio adquirido por um modo sobrenatural. Faz parte da natureza divina, do seu caráter e de sua essência, conceder dádivas ou dons ao ser criado à sua imagem, conforme a sua semelhança. Existe em toda a Bíblia Sagrada pelo menos quatorze palavras para referir-se a dons, cinco delas em hebraico e nove em grego. Porém o Apóstolo Paulo emprega a palavra charisma, para indicar os dons do Espírito Santo, as suas graças, gratuitamente conferidas para obra do ministério (1 Co 12.4,9,28,30,31). 

I – OS DONS NA BÍBLIA 

1.   No Antigo Testamento.

No Antigo Testamento, escrito em hebraico, há várias palavras que traduzem o sentindo de “dom”. Dentre elas, destacaremos ‘minchach’, a mais usada, que aparece duzentas e nove vezes, com o significado de “oferta”, “presente” (Sl 45.12; 72.10). No Antigo Testamento, os Dons não estavam à disposição de todo o povo de Deus, como no Novo Testamento. Eles eram concedidos a pessoas especificas, chamadas por Deus para cumprir determinadas missões. 

2.   No Novo Testamento.

No Novo Testamento, escrito em grego, a palavra “dom” assume de igual modo significados diversos. O termo charisma é muito utilizado em estudos bíblicos, pois tem o significado de “dons do Espírito”, concedidos pela graça de Deus, com propósitos muitos elevados; é relacionado ao termo ta charismata, utilizado em 1 Coríntios 12.4,9,28,30,31, que tem o sentindo de “dons da graça”. Há o termo grego ta pneumática, usado por Paulo, em 1 Coríntios 12.1; 14.1, que se refere a “dons espirituais”. Em o Novo Testamento, os Dons de Deus estão à disposição de todos aqueles que fazem a Igreja do Senhor Jesus, os quais devem ser usados como ferramentas de trabalho com a finalidade de promover graça, poder e unção à Igreja no exercício de sua missão, de forma que Cristo seja glorificado.

 

II – OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS

 

1.   Dons relacionados ao serviço cristão.

Em Romanos 12 o apóstolo Paulo aconselha a Igreja, pois, cada membro tem o seu próprio dom. Pode ser para escrever sermões, construir casas, semear, manipular números, tocar piano, cantar, ensinar. Seja qual for, todos o têm e é um dom, alguma coisa em parte, que Deus lhes deu. Eles o devem a Deus. A relação de Romanos 12:6-8 envolve sete dons, dentre eles seis estão relacionados ao serviço cristão: 1º) Ministério (Rm 12.7); 2º) Ensinar (Rm 12.7); 3º) Exortar (Rm 12.8); 4º) Repartir (Rm 12.8); 5º) Presidir (Rm 12.8); 6º) Exercitar misericórdia (Rm 12.8).Por fim, qualquer que seja o dom que alguém tenha, deve usá-lo, e o motivo de seu uso deve ser, não seu prestígio pessoal, mas a convicção de que é ao mesmo tempo seu dever e um privilégio que Deus lhe deu para que faça sua própria contribuição ao bem comum.

 

2.   Conhecendo os dons espirituais.

O apóstolo Paulo diz: “Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas.” (1 Coríntios 12.8-10). Não há crente sem dom nem crente com todos os dons (1 Co 12.29-31). O Espírito Santo é quem distribui, a fim de que não haja nenhuma falta, necessidade ou carência na Igreja de Deus. A Bíblia registra vários dons. Só em 1Coríntios 12:8-10 Paulo relacionou três grupos de Dons Espirituais, a saber: Três Dons de saber (Palavra de sabedoria, Palavra de ciência - ou conhecimento - e do Discernimento de espíritos); três Dons de fazer (Fé, Cura e Operação de milagres); três Dons de falar (Profecia, Variedade de línguas e Interpretação de línguas). É certo que em nenhuma deles o objetivo de Paulo foi o de quantificar os Dons, ou seja, definir quantos são, mas, o de qualificá-los, ou seja, discorrer sobre o objetivo e o uso correto de cada um. O homem é apenas um instrumento, mas o poder é do Espírito Santo. 

3.   Acerca dos dons ministeriais. 

Os Dons ministeriais são serviços ou funções exercidos na Igreja local, como parte do Corpo de Cristo, que é a sua Igreja. São dádivas vindas da parte de Jesus, para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação da igreja. Os Dons Ministeriais são enumerados em Efésios 4.11 e 1 Coríntios 12.28,29, a saber: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres. São os dons Ministeriais propriamente dito. 

III. CORINTO: UMA IGREJA PROBLEMÁTICA NA ADMINISTRAÇÃO DOS DONS ESPIRITUAIS (1Co 12.1-11) 

1.   Os dons são importantes.

Os dons foram dados para a edificação do corpo de Cristo. Pelo exercício dos dons a Igreja cresce de forma saudável. Assim, os dons são importantíssimos e vitais para a Igreja. Eles são os recursos que o próprio Espírito de Deus concedeu a Igreja para que ela pudesse ter um crescimento saudável e também suprir as necessidades dos seus membros.

 2.   Diversidade dos dons.

Paulo diz: “Ora, há diversidade de dons” (1 Coríntios 12.4). A palavra charismata vem de charis, graça. Assim, Paulo está falando da origem dos dons. O dom espiritual procede da graça de Deus. Nenhum homem tem competência para distribuir dons espirituais. Essa não é uma competência humana. Os dons São originados na graça de Deus e são ministrados, doados e distribuídos pelo Espírito Santo de Deus. Nenhum tem competência de distribuir dons espirituais. A origem dos dons nunca está no homem, mas sempre na graça de Deus. 

3.   Autossuficiência e humildade.

A Igreja de Deus não tem espaço para disputa de prestígio. Os dons são recebidos pela graça e não pelas obras (Rm 12.6; 1Pe 4.10). A maior prioridade é cuidar de seu irmão. Ninguém é autossuficiente, dependemos sempre de Deus e do próximo. Não use o dom que Deus lhe deu com orgulho, visando à exaltação pessoal. Isto é pecado contra o Senhor e contra a Igreja!

 

O estudo dos dons é de grande importância, o tema principal dos capítulos 12 a 14 de 1 Coríntios é o seguinte: os dons do Espírito Santo. Podemos subdividi-los da seguinte forma: 1º 12.1-11: A fonte dos dons espirituais – o Espírito Santo. 2º 12.12-31: Unidade e despeito da diversidade – um Espírito, um propósito, um corpo. 3º 12.31-13.13: Amor – o ingrediente essencial para que os dons espirituais operem com sucesso. 4º 14.1-25: A superioridade do dom de profecia em relação ao dom de línguas; condições e instruções para o correto uso desses dons. 5º 14.26-40: Regras e restrições para o uso dos dons de profecia e de línguas na casa de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário